A balbúrdia como um veneno antimonotonia fascista

FREDERICO MORIARTY - Marietta Baderna desceu no Porto do Rio em 1849 aos 23 anos. Dançarina de sapateado, aqui incorporou as danças africanas, em especial os batuques angolanos do lundu e a sinuosa arte de movimentar as cinturas com roupas curtíssimas, denominada de umbigada, já que a famosa e desejada barriguinha ficava exposta, como ela... Continuar Lendo →

O hot chicken de Johnny ‘bad guy’ Cash, o Vietnã e a boa mesa de Nashville, a capital da country music

MARCO MERGUIZZO - Indicado pelo jornalista e contista de quatro costados José Carlos Fineis, autor do imprescindível blog Conversa de Armazém, neste Coletivo, assisti dia desses ao documentário Nixon and the Man in Black, em exibição na Netflix, e me encantei com a trajetória contundente, errática e de posições polêmicas, porém, extremamente apaixonante, do cantor... Continuar Lendo →

Paulo Freire segue a salvo

POR VANESSA MARCONATO NEGRÃO (TEXTO) / PEDRO HENRIQUE NEGRÃO (FOTO) - No início da década de 60 havia mais de 15 milhões de analfabetos no nordeste. Isso representava cerca de 50% da população daquela região. Asa Branca, de Luiz Gonzaga denunciava em versos o que sofria essa gente. Mas pouco se fazia além da poesia.... Continuar Lendo →

Dois ursos, um pássaro, uma mulher

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - Kaoru é uma mulher japonesa adulta, que tem um trabalho não muito interessante e mora sozinha. Quer dizer, sozinha não. Ela mora com dois ursos de pelúcia e um pássaro. Os três companheiros de Kaoru comem muito e têm sentimentos. Não falam nenhum idioma conhecido. Mas Kaoru entende o que... Continuar Lendo →

“Quanto a mim, só conheço milagres”

NILSON RIBEIRO - Aconteceu numa tarde dessas. Eu estava em casa com Arthur, meu menino, quando deu a hora da soneca dele. Contei uma história e ele logo adormeceu. Como eu estava por conta de cuidar do meu pequeno, fiquei no quarto, velando o sono do meu filho. Velar é uma palavra linda. É tornar-se... Continuar Lendo →

Rio Sorocaba – Aspectos de uma videografia

SANDRA NASCIMENTO - Castigado pelos despejos de esgotos domésticos e de resíduos químicos, o Sorocaba já foi considerado um dos rios mais poluídos do interior do Estado de São Paulo, chegando a ser tido como irrecuperável nos anos de 1970 e 80 – uma situação depreciativa para Sorocaba, município de 670 mil habitantes, localizado a... Continuar Lendo →

Cinco dúvidas sobre depressão

LUIZ PIEROTTI - Conforme levantamento feito pela OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), estima-se que cerca de 300 milhões de pessoas no mundo sofram com a depressão, número de tamanha relevância que, para muitos, faz com que este transtorno possa ser classificado como o mal do século. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde),... Continuar Lendo →

Roberto Marinho, mecenas brasileiro

RUBENS NOGUEIRA - Há tempos eu não sentia o fenômeno mental que um filósofo moderno resumiu na frase: “Nós somos o que lembramos.” Aconteceu quando li que a casa em que morou por muitos anos o doutor Roberto Marinho foi transformada em Centro Cultural – muito apropriadamente batizada como “Morada da Arte”. A casa fica... Continuar Lendo →

Lição de filho para pai

NILSON RIBEIRO - Por quase todas as manhãs tenho o privilégio de ficar sozinho algumas horas com Arthur, hoje com seis anos. Este episódio aconteceu quando meu pequeno ainda tinha menos de dois anos. Estávamos no sítio onde moramos. Como outras vezes, naquela manhã só eu e ele. Mônica dá suas aulas nesse período e... Continuar Lendo →

O nefasto ser humano

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - “Entardecer” é um filme sombrio. Em todos os sentidos. Dos rostos pouco iluminados à trama escura, incômoda, em alguns momentos obscura. As sombras perpassam as cenas e o diretor, o húngaro László Nemes, faz questão de mostrar que muitas almas ali não são também muito iluminadas. Cada pessoa possui sua... Continuar Lendo →

Mãe é ninho

RITA BRAGATTO – Já faz quase um ano. Desde que saí do seu ventre, esse é o maior tempo que ficamos longe, mamys. Não tem sido fácil essa distância física, eu sei. Sabe aquele abraço que quase me quebrava os ossos e que, por isso, eu sempre reclamava? Pois, bem. Tô morrendo de saudade dele... Continuar Lendo →

Pequeno comitê performativo em São Roque

JOSÉ SIMÕES - Quatro artistas sorocabanos. Quatro experiências de vida ligadas às artes visuais, ao teatro e a dança contemporânea. Quatro performances individuais que se entrelaçam. A proposta surgiu da imagem do cubo, da arquitetura e da moradia como palco. As quatro performances acontecerão na Casa Rosa Manjericão, em São Roque, dentro da proposta “pague... Continuar Lendo →

Coragem é a força que vem do amor

A ciência já comprovou que as emoções são as responsáveis pelos registros em nossa memória. O que guardamos e o que lembramos são acontecimentos acompanhados de forte impacto emocional -- bons ou ruins -- e das associações que fazemos com eles.

Adeus Antunes Filho

JOSÉ SIMÕES - O teatro brasileiro perdeu ontem uma das suas principais referencias vivas da geração pós TBC. Todavia para quem trabalha e vive do teatro o partir, o vir, o nascer, o morrer estão sempre engendrados. Vive-se no teatro a presença. Sem passado ou futuro. Somos passageiros nesse ofício. Quem se adentra no mundo... Continuar Lendo →

Nossos irmãos Karirí Xocó

PEDRO NEGRÃO (FOTO) / VANESSA MARCONATO NEGRÃO (TEXTO) - Minha família teve a alegria de conviver por três dias com uma família Karirí Xocó. Vindos de Alagoas, trouxeram consigo a imensidão da alma da floresta, e deixaram conosco a brisa da esperança. Fizeram por nós muito mais do que seríamos capazes de retribuir. Nos fizeram... Continuar Lendo →

Teatro em São Roque: Solamente

JOSÉ SIMÕES - Na cidade de São Roque o teatro, também, se espalha. Nesse final de semana, nos dias 3 e 4 de maio, as 20h,  na Casa Rosa Manjericão, acontece o espetáculo Solamente,  com o ator Humberto Gomes. Segundo o ator O espetáculo retrata as coleções pessoais do convívio cotidiano: histórias, memórias, crenças, valores,... Continuar Lendo →

Um tal de D’Abreu Medeiros

GERALDO BONADIO - A rua D’Abreu Medeiros, de pouca expressão em nosso sistema viário, começa na avenida São Paulo e tem dois quarteirões. O primeiro se estende até à rua João Ferreira da Silva; o segundo se prolonga dali até um estreito pontilhão sob as linhas da velha Estrada de Ferro Sorocabana que, em sua... Continuar Lendo →

A deliciosa “Dix pour cent”

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - A série “Dix pour cent” nada tem de épico ou trágico. Então, se você é fã de “Guerra dos Tronos”, não vai gostar dela. Caso você aprecie uma afiada comédia de costumes, então essa é a pedida. A agência Ask, abreviação de “Agence Samuel Kerr” (o nome do dono) atende... Continuar Lendo →

A importância do texto no teatro

O poder é a escola do crime. (Macbeth)   JOSÉ SIMÕES - Antes de começar este post é preciso afirmar que qualquer texto pode ser teatralizado. Isto é: todo texto literário  ou não pode ser levado à cena. Tal como  poemas, literatura,  fábulas, etc. Mas há uma forma de escrita específica para o teatro -... Continuar Lendo →

O jardim secreto

RITA BRAGATTO – Todos nós temos um jardim secreto. Aquele espaço interno onde vivem a nossa luz e a nossa sombra. É o esconderijo dos nossos pensamentos mais profundos. Da nossa ousadia. Dos nossos medos. O lugar pra onde vamos quando nos desconectamos do mundo externo. Quando silenciamos. É o endereço da nossa intimidade. Da... Continuar Lendo →

O bom pastor: estamos sempre em boas mãos

NILSON RIBEIRO - Segunda de manhã. Sol e tempo agradável. Depois de uma boa chuva, o verde da relva está mais viçoso... Eu e meu filho Arthur, de seis anos, fazíamos nossa vigília matinal pelo pasto, dando bons dias às vacas e cavalos, passarinhos e borboletas. Nosso ritual matinal de estar presente na vida. Súbito,... Continuar Lendo →

A vida é curta demais para não ler poesia

JOSÉ CARLOS FINEIS – Este blog nasceu com a proposta de abordar assuntos variados, sem um foco muito definido, com um pé em comportamento, outro em comunicação, outro nas artes e outro em sociedade – ou seja, seria um blog multidisciplinar com no mínimo quatro pés ou patas, assim como uma mesa ou um cavalo.... Continuar Lendo →

As existências mínimas

VANESSA MARCONATO NEGRÃO (TEXTO) / PEDRO NEGRÃO (FOTO) - Pouco acredito nos calendários, tampouco nos relógios, muito menos em datas comemorativas. Mas acredito nas pessoas. No coração que pulsa, nas falanges do bem. Como o abrigo do guarda-chuva num dia de sol quente, ainda encontramos acalento nas existências mínimas que nos atravessam. Alguém cede o... Continuar Lendo →

Paixão pelas palavras

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - Poucos sortudos no mundo conseguem trabalhar apenas em tarefas que lhes trazem prazer. Essa não é uma particularidade dos tempos atuais. Eliminando da equação aqueles que têm o objetivo claro de ganhar cada vez mais dinheiro e seguem construindo uma carreira para bater as próprias metas nesse sentido, a maioria... Continuar Lendo →

A vida não cabe numa moldura

RITA BRAGATTO – Ontem à tarde, estava caminhando pelo vilarejo de San Vito Romano, na Itália, onde resido atualmente. Trata-se de uma comuna medieval com três mil habitantes. No alto da colina, as casas se amontoam umas às outras. As ruas são uma sucessão de becos. Os varais de roupa escapam das janelas e cruzam... Continuar Lendo →

Perigo: teatro

JOSÉ SIMÕES -  Toda vez que a sociedade se encontra em crise o teatro se torna algo perigoso para aqueles que estão no poder. Nesses tempos os artistas são fortemente atacados, desqualificados profissionalmente e economicamente. Já assistimos a este filme em diversas partes do mundo. No Brasil, por exemplo, durante o período da ditadura militar... Continuar Lendo →

É hora de aceitar o convite da vida!

NILSON RIBEIRO - Dia desses participei de uma atividade do Teatro do Oprimido. Dessas coisas que gosto de ousar para abrir portas criativas na minha vida. Há sempre algo o que aprender quando fazemos coisas que nos tiram da zona de conforto. Em certo momento, uma das atrizes vem em minha direção, faz contato visual... Continuar Lendo →

Baobá: do estudo ao convívio

LUIZ PIEROTTI - O espaço de reuniões é aconchegante e familiar. Um café fresquinho nos espera em uma sala com diversas almofadas dispostas em círculo no chão. Ali acontecem os encontros do Grupo de Estudos Negros Baobá. Nascido da necessidade de discussão e compartilhamento de ideias e obras que abordassem a negritude, o Baobá vai... Continuar Lendo →

Jazz e vinho: uma dupla super afinada que dá samba

MARCO MERGUIZZO - Confesso. Tenho algumas grandes paixões na vida que fazem meu coração bater mais forte: a literatura, o cinema, o jazz e o vinho - não necessariamente nessa ordem. Cada uma delas é capaz de tocar fundo a minha alma, aflorar minha sensibilidade, tirando-me, mesmo que por alguns poucos instantes, das batalhas cotidianas... Continuar Lendo →

Bonis nocet, qui malis parcit

LUIZ MARINS - “Quem poupa os maus, ofende os bons”. Originalmente do latim “bonis nocet, qui malis parcit”, este ditado é repetido em vários países: “Who pardons the bad, injuries the good”, na Inglaterra;  “Chi perdona ai cattivi, nuoce ai buoni” na Itália; “Qui épagne le vice, fait tort à la vertu” na França; “Ofensa... Continuar Lendo →

Prefere o ódio quem se alimenta dele

VANESSA MARCONATO NEGRÃO (TEXTO) E PEDRO NEGRÃO (FOTO) - De tempos em tempos conceitos caem, substituídos ou obsoletos, mas desumanizar não é tolerado, aliás, não devia ser. Em que pedaço do caminho passamos a ignorar a bússola do bom senso? Como viemos parar aqui? Com tantas possibilidades, chegamos ao consenso de optar pelo mais vil... Continuar Lendo →

País Zelig

FREDERICO MORIARTY - Woody Allen inventou Zelig em 1983. Talvez o mais genial dos seus filmes. Usando técnicas (hoje pré-históricas) de chroma key (fundo verde), ele botou seu personagem quase real nos anos 1920/30. Na foto, vemos Zelig em reunião com Al Capone. Zelig é um cidadão médio inexpressivo. Porém tem um dom/doença: transmuta-se instantaneamente em... Continuar Lendo →

Crítica: artEfeito

JOSÉ SIMÕES - A proposta cênica do ArteEfeito é a de colocar o espectador como o sujeito da experiência. No espetáculo somos colocados diante de um espetáculo híbrido que mistura elementos do teatro, da performance, do site specific  e do ativismo. Nosso desafio é precisamente considerar os elementos da teatralidade presentes. A palavra teatralidade foi... Continuar Lendo →

Minha coragem é sinônimo de fé

RITA BRAGATTO - Era pra ser outra simples visita a uma igreja famosa, dentre tantas que já fiz na vida. Chovia em Pádova, na Itália, e quase não havia lugar para estacionar perto da Basílica de Santo Antonio. O movimento era grande. Pudera: domingo. Dia de missa. Mas acabei encontrando uma vaga bem ao lado... Continuar Lendo →

Nobre amor vira-lata

NILSON RIBEIRO - Oggi apareceu do nada aqui em casa. Um filhotinho muito simpático, vira-lata, que chamamos inicalmente de Doddy porque ainda não entendíamos direito o nome que nosso pequeno Arthur, com então dois anos, havia escolhido. Parecia Doddy, mas podia ser Toddy ou até George... Mas é Oggi. Teoricamente ele pertenceria aos tios de... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑