Baobá: do estudo ao convívio

LUIZ PIEROTTI – O espaço de reuniões é aconchegante e familiar. Um café fresquinho nos espera em uma sala com diversas almofadas dispostas em círculo no chão. Ali acontecem os encontros do Grupo de Estudos Negros Baobá.

Nascido da necessidade de discussão e compartilhamento de ideias e obras que abordassem a negritude, o Baobá vai muito além disso, tornando-se um ambiente de convivência, companheirismo e acolhimento.

“Este é um espaço aberto a todos. Jovens, adolescentes, homens, mulheres, negros e brancos. Para que, em um momento tão difícil de nosso país, possamos nos aquilombar. Este é um quilombo urbano que está se formando na cidade de Sorocaba”.

Elaine Machado, psicóloga

As reuniões do grupo Baobá acontecem uma vez por mês, normalmente em uma quinta-feira pré-acordada em redes sociais, e só pode ser promovido graças à psicóloga Bárbara Marques, que disponibiliza o espaço na Casa Aliá, que presta serviços de saúde alternativa e holística.

No vídeo abaixo, converso com os idealizadores Wellington Ataide e Daniel Azevedo, para compreender e promover a proposta do grupo.

A Casa Aliá fica na rua Camilo José Cury, 103, Vila Trujillo.


Leia Mais:

As novas cores de Rimbaud

Não esqueçamos Carolina

Continue me seguindo:

Caos Cultural

Intagram

Twitter

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: