Dois ursos, um pássaro, uma mulher

LÚCIA HELENA DE CAMARGO –

Kaoru é uma mulher japonesa adulta, que tem um trabalho não muito interessante e mora sozinha. Quer dizer, sozinha não. Ela mora com dois ursos de pelúcia e um pássaro. Os três companheiros de Kaoru comem muito e têm sentimentos. Não falam nenhum idioma conhecido. Mas Kaoru entende o que querem dizem com os sons que emitem. Eles são mais do que bichos de estimação. Essa é a dinâmica da animação “Rilakkumma e Kaoru”, que estreou em 19 de abril no streaming mais conhecido (eu poderia dizer Netflix, mas eles não me pagam nada pela propaganda).

A série, rodada com uso da técnica stop-motion (na qual cenários e personagens são objetos reais filmados quadro a quadro), estreia o formato na plataforma.

Inevitável se compadecer dos bichos quando tentam ajudar com dinheiro em casa, arranjando empregos. E todo mundo achará engraçada a gulodice do trio, cuja preferência é por um quitute japonês específico.

A produção é caprichadíssima. Mesas, cadeiras, copos, bolsas, roupas e expressões, tudo preciso. Perpassando todas as estações do ano, vemos a turminha em situações que vão de brincar na neve a tomar picolés em frente ao ventilador, derretendo de calor.

A animação é singela, quase infantil. Com ritmo diferente das animações mais conhecidas, claro. Nem pense em comparar com produções da Pixar, por exemplo. Mas há algo nela de muito elaborado e bem bolado. É aquele tipo que pode ser visto por crianças e também por adultos. Cada um poderá descobrir nuances diferentes. Uma pessoa de cinco anos de idade talvez enxergue o piquenique da turminha apenas como um evento alegre, ao ar livre. Para gente mais crescida talvez se somem outros significados.

Ao final de cada episódio (que dura apenas 12 minutos), há uma mensagem –  valorização da amizade, importância da autoestima, aceitação do diferente, entre outras. O melhor: é algo bem diferente da grande maioria das coisas que você pode encontrar para assistir. “Rilakkumma e Kaoru”, embora inclua questões contemporâneas (como compras pela internet e a vontade de Kaoru em ter um namorado), traz, através de seu formato, uma televisão boa de ver, que pacifica a alma.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: