Sucesso é resultado do que você é e do que você faz

LUCY DE MIGUEL (Blog “Como Vai Você?”) — Do que reclamam os que não tem sucesso? Domingo passado, em plena Páscoa, passei de carro em frente a uma tradicional cantina italiana próxima à Rua Augusta, no centro de São Paulo, que serve um prato delicioso, inigualável, de carne e massa. Todos em casa adoram. Pensei em parar para comprar a comida, já que a cantina não figura nos aplicativos de entrega. Parei em frente e ela estava completamente fechada. Não havia nem uma placa com um telefone, um contato, um sinal de delivery… nada de nada.

Juro que doeu o meu coração. Doeu como cliente, porque eles servem uma comida de excelente qualidade, com preço justo e um atendimento de primeira.  Mas doeu principalmente como empresária, por ver tanto atraso na gestão. E doeu como ser humano, por esse gestor desatualizado estar totalmente inoperante, gerando prejuízos não só para ele, mas para todos: clientes, funcionários, fornecedores…

Nos últimos dias tenho acompanhado a angústia e as reclamações de alguns empresários, principalmente dos pequenos comércios e serviços, que temem um verdadeiro caos na economia, e particularmente em suas finanças, diante da continuidade do isolamento por conta da Covid-19. E pedem um retorno imediato da abertura de seus negócios, imediatismo este que, a meu ver, seria de brutal inconsequência.

Novamente estamos diante de uma polarização da sociedade: dos que defendem e dos que criticam as ações dos governantes e dos especialistas em saúde. Mas a minha reflexão aqui sai do macro e vem para o micro: qual a responsabilidade de cada um de nós, enquanto pequenos ou médios empresários, para driblar essa crise?

Sou plenamente convencida de que o sucesso é o resultado do comportamento e das ações do líder. Sucesso é o resultado do que você é e do que você faz, independentemente de decisões externas, de crises, de determinações judiciais ou qualquer outra interferência  que não exija algo de você.

empreendedor
Foto: Depositphotos

Nem todo empresário é um empreendedor

Todo empresário que eu conheço se diz empreendedor. E eu afirmo com todas as letras: não é! Estes dois conceitos não são sinônimos por uma simples diferença: ser empreendedor é ter desenvolvido um conjunto de habilidades comportamentais, não é um estado. Dá pra entender?

Conheço várias pessoas que foram demitidas e usaram o dinheiro da rescisão para investir em um negócio próprio (em uma franquia, principalmente) e em pouco tempo perderam tudo. E a desculpa é sempre a mesma: “Eu fali com a crise”.

Em minhas aulas e palestras sobre responsabilidade social como uma ferramenta de gestão poderosa para chegar ao sucesso, defendo cinco características (comportamentos e habilidades) essenciais para o líder de sucesso. São as básicas, que eu divido em SER…

  1. ÉTICO/TRANSPARENTE
  2. PROTAGONISTA
  3. INOVADOR
  4. VISIONÁRIO
  5. RESPONSÁVEL

Cada uma delas renderia um artigo à parte, mas mostrarei como funciona na prática ao longo do texto, chamando para a AÇÃO. Historicamente, todo momento de crise econômica se transformou em oportunidade para o crescimento do capitalismo. Quem não entende isso, deve estudar a História. E o quanto isso contribui para o aumento das desigualdades, também é tema para outra conversa.

O significado da crise é subjetivo

Crise é algo que vêm como uma onda, muitas vezes parecendo um tsunami, mas de suma relevância para nos tirar da zona de conforto e nos reinventar. Preste atenção num detalhe: não vem para nos destruir, pelo contrário, é para nos fazer crescer. Essa concepção negativa de crise é, ao meu ver,  equivocada. Ela tem o tom que cada um lhe confere.

Crise significa, para mim, o momento oportuno para fazer grandes ajustes, para ampliar os conhecimentos, para INOVAÇÃO. Enquanto vejo o que chamo de pseudo-empreendedores do comércio prevendo e antecipando suas perdas, por outro ângulo encontro verdadeiros líderes surfando na onda e aderindo ao marketplace (do tipo Mercado Livre, Magalu, Americanas.com, Dafiti… e outros que há por aí). Quem sai na frente é um VISIONÁRIO. Nunca tivemos tantas chances comerciais de expandir nosso mercado de atuação como agora, com o uso das tecnologias.

Na semana passada, resgatei minha máquina de costura, criei um modelito de máscara cirúrgica e comecei a produzi-las com tecidos e elásticos que eu tinha em casa. Confeccionei  pouco mais de 100 delas e distribuí de forma voluntária nas ruas e no mercado. Não deu nem para o começo. Decidi procurar mais material nas lojas pela internet. Quase não há. Encontrei apenas a venda online de TNT e achei apenas um único fornecedor, tanto no Mercado Livre como no Americanas.com. E vendendo caro. Isso eu chamo de falta de ÉTICA/TRANSPARÊNCIA. Mas não vamos entrar no detalhe do oportunismo.

O fato é que minha necessidade de consumo despertou uma reflexão: onde estão as lojas de tecido, de armarinhos? Será que há clientes em casa precisando comprar alguma coisa e que não encontram na internet? Por que a maioria dos comerciantes da rua 25 de Março, que estão com suas lojas fechadas e chorando as pitangas em casa, ainda não entendeu que o mundo mudou? Por que ainda não estão com suas vendas online? De quem depende essa decisão, meu deus do céu? É do Bolsonaro, do Papa, do Bill Gattes, da Lady Gaga? Se você está nesta situação, já está passando da hora de acordar e começar a agir. Aqui entra a sua competência, e somente sua enquanto líder:  a RESPONSABILIDADE.

comunicação e sucesso
foto: Depositphotos

A comunicação é a chave para o sucesso

O comerciante empreendedor que sacou essa mudança mundial bem antes do coronavírus, já levava seu negócio nas duas frentes: física e online. Ganhou uma vantagem competitiva agora. Isso se chama PROTAGONISMO. Outra parcela mais ágil correu atrás logo no início do isolamento. Dá para notar um aumento de lanchonetes, padarias e restaurantes que aderiram ao delivery do tipo IFood, Rappi, Uber Eats ou a algum sistema de entregas para atender seus clientes.

Quem entendeu o “recado do universo” está nas redes, mas não é reclamando, não! Se o sucesso está na comunicação, em tese todos temos a faca e o queijo na mão. Comunicação é estabelecer e reforçar os vínculos. Simples assim. Todos nós, independentemente do negócio ao qual nos dedicamos, precisamos surfar na onda da comunicação. E a tecnologia, por incrível que pareça, está aí para nos ajudar.

Profissionais liberais, autônomos, médicos, psicólogos, advogados, professores e muitos outros estão desempenhando seus papéis nas redes sociais, atendendo seus clientes à distância, por videoconferência, fazendo suas lives (transmissões ao vivo), fortalecendo os vínculos com sua clientela ou criando novos relacionamentos. É assim que aparecem os resultados, não apenas na economia, mas nos relacionamentos interpessoais, nas relações familiares, no relacionamento a dois: todo o sucesso depende da comunicação.

Como jornalista, eu sempre dou esse conselho nas minhas palestras: pare de ver as notícias ruins da televisão. Mantenha a sua atenção somente nas boas notícias e busque suas inspirações. Ver aumentar os índices de desemprego, de violência doméstica ou qualquer outra informação policialesca em plena pandemia não vai melhorar a sua vida. Aliás, nem sem pandemia.  O momento pede REAÇÃO, mudanças, inovação… Ainda que dentro de nossas casas, protegendo a nossa e todas as outras famílias. Um cuida do outro e assim todo mundo cresce.

lu@namochila.com
facebook.com/lucy.cantero.demiguel
instagram.com/lucycantero

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: