A Paixão no Circo – o filme

JOSÉ SIMÕES (Blog Cena Metropolitana) – O filme A  Paixão no Circo realizado pelo Circo-teatro Guaraciaba em parceria com o Coletivo Cê, a partir da montagem do espetáculo homônimo (em 2018) mostra a vitalidade e o arrojo para novos voos dos artistas da Região Metropolitana de Sorocaba, na busca de alternativas para enfrentar estes tempos da pandemia.

O roteiro assinado por Julio Mello e Bruna Moscatelli, desenvolvido a partir da dramaturgia de Rogério Guarapiran, traz poucas novidades em relação a montagem de 2018. No texto teatral o autor dialoga com o clássico do circo-teatro Mártir do Calvário, conhecido também como Paixão de Cristo, baseado no drama sacro-espanhol e escrita pelo autor português Eduardo Garrido, apresentada no Rio Janeiro, em 1901. Um dos maiores sucessos do circo-teatro da primeira metade do século XX. Era tamanho o sucesso de público do texto que, numa cidade de médio ou grande porte, quatro ou cinco companhias de teatro o apresentavam simultaneamente. O texto de Eduardo Garrido já foi contemporaneamente adaptado outras vezes na cena brasileira. Dentre elas se destaca a montagem do grupo Galpão – Rua da Amargura – feita por Arialdo de Barros e direção de Gabriel Villela.  Um marco na trajetória cênica do grupo mineiro que, também, foi adaptado para a tv como o nome de A paixão Segundo Ouro Preto.

O projeto foi realizado com poucos recursos e conseguiu bons resultados. Há momentos preciosos no filme. Imagens poéticas singulares. Cabe, ainda, destacar a interpretação dos atores, dentre os quais a veterana Guaraciaba Malhone e Bruna Moscatelli que proporcionam cenas emocionantes e permeadas de delicadezas na trama. Como se sabe não é fácil sair do registro do palco (da cena), para o ambiente do cinema. As relações tempo, projeção vocal e movimento corporal são outras. Muitos artistas não conseguem.

Não podia ser diferente, o filme é carregado de influências teatrais. Realizado com movimentos de câmeras limitados, dentre os quais preponderam os planos aproximados, reforçando a proposta de intimidade na relação com as personagens. Como consequência, o uso de contraplanos nos diálogos, por vezes, se torna excessivo.  Pode-se, ainda apontar, que nalguns momentos há problemas técnicos na sonorização, especificamente, na captação. Noutros a edição com cortes abruptos parece dar pequenos saltos na narrativa. Todavia sem comprometer o resultado final da montagem.

A direção de Julio Mello se impõe, em colaboração com o diretor de fotografia Bruno Ducatti e a trilha sonora de Matheus Zanetti, na construção do melodrama circense na tela, num ambiente emocional, suave e apoiado na paisagem sonora, obtendo como resultado um fio narrativo intimista, quase sem arroubos e elegante.

Por fim, não existe arte e artista que não conjuguem o verbo arriscar. O risco anda de braços dados com o medo e frio na barriga. Medo de ser vaiado, de ser ignorado, de perder a credibilidade, de perder a moradia, de dar certo, de sobreviver, de se tornar um sucesso de público, de mudar o percurso artístico dos envolvidos e por aí segue.  A maioria dos artistas não conseguem nem respirar na acomodação. Isso não quer dizer que os artistas não queiram a estabilidade financeira e condições para produzir o seu trabalho artístico. É por isso que ser artista não é para muitos. Não basta só boa vontade. É preciso se arriscar, sempre. A maioria dos que acham a profissão fácil desistiria num piscar de olhos.

A Paixão no Circo engrandece a produção artística da Região Metropolitana de Sorocaba num tempo de tantas adversidades. Foi emocionante poder vê-los em cena. Que venham outras produções!

Ficha técnica:

Elenco: Alexandre Malhone, Alexandre Miranda, Bruna Moscatelli, Edimea Rocha, Eliane Ribeiro, Guaraciaba Malhone, Hércules Soares, Hudi Rocha, Júlio Melo

Diretor: Júlio Melo

Diretor de Cena: Fernando Neves

Diretor de Fotografia: Bruno Ducatti

Assistente de Fotografia: Thiago Roma

Dramaturgo: Rogério Guarapiran

Roteiro: Bruna Moscatelli, Júlio Mello

Direção Administrativa e Produção Executiva: Andressa Moreira

Assistente de Produção: Rafael Ferraz

Cenógrafo: Jaime Pinheiro

Diretor de Arte: Júlio Mello

Figurinista: Luciana Malhone, Felipe Cruz

Assistente de Figurinista: Larissa Mara

Montagem: Bruno Ducatti, Júlio Mello

Áudio Direto, Trilha Sonora e Mixagem: Matheus Zanetti

Co-produção de Áudio: João Marcos, Marcel Marques

Assistentes de Set: Alexandro Andrade, André Luiz

Coloração e Finalização: Thiago Roma

Fotógrafa: Cau Perácio

Figuração: Gustavo Campo, Alexandro Andrade, Andre Luiz, Matheus Zanetti, Thiago Roma, Fernando Neves, Andressa Moreira, Cau Peracio, Larissa Maria

Claquete: Alexandro Andrade

Art Designer: Péu Ribeiro

Serviço

Estreou dia 2 de abril, às 20h – sexta feira da Paixão.

Para assistir acesse no Youtube, canal do Circo-Teatro Guaraciaba: https://www.youtube.com/watch?v=0SNjivShlEA

Um comentário em “A Paixão no Circo – o filme

Adicione o seu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: