Larissa e Joana (conto). Parte 2 (final): O amor verdadeiro

JOSÉ CARLOS FINEIS (Conversa de Armazém) - Nos dias seguintes ao primeiro encontro (creio que foi numa quarta ou quinta-feira), Larissa e Joana pensaram muito no trato que haviam feito. A bem da verdade, refletiram sobre o assunto de maneira quase obsessiva, talvez porque as intrigasse uma ideia que ocorreu a ambas – a de que pudessem ter sido levadas por algum motivo desconhecido por elas mesmas, alguma intenção não consciente que não fosse apenas a de reunir-se para conversar.

Larissa e Joana (conto). Parte 1: Alguém para conversar e nada além disso

JOSÉ CARLOS FINEIS - "Eu li recentemente sobre uma terapeuta americana que cobra uma fortuna para dar abraços demorados em seus pacientes. E no Japão – se bem que o Japão é outra cultura, quase que um outro planeta –, tem uma empresa que aluga amigos e parentes para pessoas solitárias, para acompanhá-las em festas ou mesmo para conviver com elas em casa. (...) Isso sem falar nos homens que compram mulheres de silicone para ver TV de mãos dadas no sofá e depois fazer sexo com elas." (Blog Conversa de Armazém)

Uma receita de infelicidade (conto)

JOSÉ CARLOS FINEIS – "Ahá! Aí está o problema -- exultou o guru. -- Seu marido é triste porque você não ri das piadas dele. Se você não rir, outra certamente rirá, e ele irá com a outra. Um lar sem dinheiro, sem romantismo e sem risos é como um torrão de açúcar numa chuva de verão: logo se desfaz."

A taça de sorvete

JOSÉ CARLOS FINEIS - Não me sinto culpado por ter sido uma criança difícil, por um motivo muito simples: não existe criança fácil. O que existe é criança mais ou menos difícil. Também não perco tempo pensando em que categoria – se mais ou menos difícil – eu poderia ter sido classificado. Acredito (e obviamente... Continuar Lendo →

Quanto custa colocar amor no café?

LUCY DE MIGUEL - Quando li essa frase pela primeira vez no prefácio de um livro, percebi que ela continha uma riqueza enorme de significados, que tomei emprestada para usá-la em minhas palestras para empresários e líderes educacionais. Digo sempre que a frase não é minha, mas de Marco Kerkmeester, fundador de uma conhecida franquia... Continuar Lendo →

O mistério de 31 milhões de acessos

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - Um casal comum cai por acaso em uma situação inusitada que envolve gente endinheirada, crimes e mistérios. Esse roteiro a gente já viu. Mas sempre é possível inventar variações sobre a mesma fórmula. Assim é “Mistério do Mediterrâneo”, que traz Jennifer Aniston e Adam Sandler como uma cabeleireira e um... Continuar Lendo →

Amor, guerra. E o vento.

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - “E o Vento Levou” (Gone With The Wind, Estados Unidos, 1939), talvez o filme mais famoso de todos os tempos, traz uma história de amor arrebatadora e trágica. A efeméride do dia dos namorados nos levou a revisitar essa grande produção.   Vivian Leigh vive Scarlett O'Hara, moça que não... Continuar Lendo →

Coragem é a força que vem do amor

A ciência já comprovou que as emoções são as responsáveis pelos registros em nossa memória. O que guardamos e o que lembramos são acontecimentos acompanhados de forte impacto emocional -- bons ou ruins -- e das associações que fazemos com eles.

WordPress.com.

Acima ↑