Paulo José me contou

PAULO BETTI (Blog do Paulo Cabra) - Quando Paulo José e eu fomos gravar “Luna caliente” (1999) no Rio Grande do Sul, um dia ele me contou esta história da estreia de “Julio Cesar”. Eu fiquei encantado e, como já mantinha uma coluna no jornal, tomei nota. Aí chegou um outro colega e eu pedi que ele contasse a história novamente, e acintosamente tomei nota de novo. E assim fiz por uma terceira vez. Chegou uma outra pessoa e eu falei: “Paulo, conta de novo a história da estreia do Júlio César”. A cada vez que ele contava, surgia um detalhe novo.

Queimem Borba Gato, Anhanguera e asseclas

FREDERICO MORIARTY - "A história é um velho museu abandonado, todavia vivo e pulsante. As janelas estão quebradas e há frestas por todos os cantos, vítimas da passagem inexorável dos dias e estações. Então, vez ou outra, o vento — gélido ou cálido —, as chuvas — torrenciais ou intermitentes —, penetram nos aposentos e... Continuar Lendo →

Vasos incomunicáveis

Meu coração é a esquina de uma pedraRígidaInerteÁsperaTrabalhada pelo ventoEsculpida à chuvaCansada ao tempoMeu coração descuidadoResolveu bombear sangue ao infinitoEsqueceu das próprias veiasQue ficaram secas feito pedraSolitáriaDoloridaSem vidaMeu coração não tem mais jeitoJaz em silêncio contínuoPulsa por teimosiaA esperaDo que nunca virá ( Frederico Moriarty, junho, 3, 2021)

A primeira noite de um homem e os sons do silêncio

FREDERICO MORIARTY - Michael Peschkowsky faria 90 anos em novembro. Aos 8, ele e a família conseguiram fugir do nazismo na Alemanha. Tornou-se dramaturgo e virou Mike Nichols. Único artista a ganhar as 4 estatuetas dos diversos prêmios de entretenimento (Oscar, Tony, Emmy e Grammy). Em 1966 adaptou "Quem tem medo de Virginia Woolf?", para o cinema, uma... Continuar Lendo →

Famiglia Mancini

PAULO BETTI (Blog do Paulo Cabra) - Lembro do começo do Famiglia Mancini. Fomos assistir uma peça no Teatro Augusta, “Patética”, de João Ribeiro Chaves Neto, direção de Celso Nunes. A peça havia sido proibida pela ditadura, mesmo depois de ganhar o prêmio nacional de melhor texto num concurso promovido pelo governo.

As mil peles da serpente

 FREDERICO MORIARTY - Corria o frio inverno de 1920 na Alemanha. A miséria estava em todas as cidades e cantos do país. Os trabalhadores que tentavam reconstruir a nação carregavam sacos de dinheiro recebidos como salário, entretanto tais sacos mal permitiam que se comprasse pão e manteiga. Hitler começa a fazer discursos cada vez mais... Continuar Lendo →

Itinerários Formativos

FREDERICO MORIARTY Introdução: em 2018 foram aprovados pelo MEC as BNCCs ( base nacional curricular comum). O ensino deveria acabar com a rigidez das " disciplinas" tradicionais. No lugar de Geografia, Filosofia e História teremos Ciências Humanas, por exemplo. As escolas deveriam criar no "contra-turno" os Itinerários Formativos. Novos caminhos, novas direções não conteudísticas, novos... Continuar Lendo →

Quantos filmes você já assistiu na sua vida? Nove.

FREDERICO MORIARTY - Vladimir Propp, linguista russo, lança em 1928 (no Brasil chegou 50 anos depois), a Morfologia do Conto Russo. Estudou mais de 100 contos maravilhosos de várias épocas da Rússia. Encontrou em sua estruturas internas. São 7 personagens que se repetem: o herói, o falso herói, o antagonista, o doador, o auxiliar, o... Continuar Lendo →

Apolo, Jacinto e Zhefiro: vida, ciúme doentio, morte e eternidade

FREDERICO MORIARTY - Entre as muitas esposas e seus muitos filhos, Zeus enamorou-se de Leto, a deusa do anoitecer. Do amor nasceram os gêmeos Artemis, a deusa da caça e Apolo. Apolo e Artemis eram de uma beleza estonteante. Apolo é um dos mais importantes deuses do panteão grego. Um deus masculino fisicamente perfeito, Apolo... Continuar Lendo →

Escuta Zé Ninguém e a função do orgasmo

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando la Pelota) - Você é um "Zé Ninguém", um "homem comum". Reflita sobre o duplo sentido dos termos “pequeno” e “comum”. Não fuja! Tenha a coragem de olhar para si mesmo! “Que direito você tem de me passares sermão?”, é a pergunta que vejo nos seus olhos assustados. É a pergunta que ouço na sua língua insolente, zé-ninguém.

A sombra em nossa personalidade e o arquétipo do bode expiatório

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Caravaggio recriou o mito de Judith e Holofernes no quadro que abre este texto. Judith é viúva. Sua cidade foi invadida e há desesperança entre as gentes. Ninguém é capaz de derrotar o conquistador Holofernes. Utilizando da sedução e malícia, a viúva embriaga o soldado, penetra em sua alcova, onde termina por decapitar o poderoso homem...

Ademar Guerra, ainda à espera de uma homenagem à altura em sua cidade natal

PAULO BETTI (Blog do Paulo Cabra) - Sorocaba tem uma praça dedicada ao grande diretor teatral Ademar Guerra. Fica perto da Igreja do Bom Jesus do Bomfim da Água Vermelha, erigida por João de Camargo, o grande taumaturgo, na avenida Barão de Tatuí, hoje um dos lugares distintos da cidade. Pena que no local não exista nenhuma identificação nem placa que se refira ao homenageado.

A música da alma

LÚCIA HELENA DE CAMARGO (Blog Todas as Telas) - Depois de meses, volto a escrever aqui neste blog Todas as Telas. A vida ficou meio desorganizada com a pandemia de covid-19. Mas embora o vírus ainda esteja por aí (em alguns lugares mais forte do que nunca), a vida segue. Com distanciamento e todos os... Continuar Lendo →

As muitas faces do Poderoso Chefão

FREDERICO MORIARTY )Blog Pipocando La Pelota)- Conheci Mario Puzo aos meus 12 anos. Era uma coleção de banca da Abril "Grandes Sucessos". Um livro a cada 15 dias. Meu pai, filho de um italiano nascido em Sernaglia de la Bataglia e emigrado para o Brasil em fins do século XIX, desafiou-me: "Se garantir que vai ler 1 livro a cada 15 dias, eu compro". A saga de Vito...

Janela Indiscreta: em tempos de pandemia o voyeurismo de Hitchcock ganha atualidade

FREDERICO MORIARTY - Dashiell Hammet e Raymond Chandler elevaram o romance policial a escala dos clássicos. A estética noir é simples e repetitiva. Ninguém é santo. Todos somos corruptos e temos um lado mal (alguns talvez só tenham este lado). Desconfie sempre das pessoas boas demais, elas são desequilibradas. Nos romances noir, a justiça é... Continuar Lendo →

Asherah, a esposa de Deus

FREDERICO MORIARTY - No princípio era o caos e dele nasceu Gaia, a deusa da terra, da formação e geração de todas as coisas. Gaia foi a parteira dos deuses, dela nasceram Urano, Oreias e Orestes, além dos 12 Titãs. Gaia é deusa grega e romana. No Olimpo Zeus possuía uma esposa e irmã, a... Continuar Lendo →

A viagem de Kafka pelo Rio de Janeiro

FRDERICO MORIARTY - Tive acesso a uma dissertação de Mestrado da UERJ. Trata-se de um estudo sobre o carnaval carioca dos anos 20.Existe uma longa passagem, desconhecida por biógrafos e estudiosos, da estadia de um famoso escritor no Rio de Janeiro. Apresento-lhes em primeira mão: Franz encontrava-se bastante doente em 1924. O médico, ciente da... Continuar Lendo →

Em algum lugar do passado

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Estamos em 1980 e uma nonagenária entrega um relógio a um belo rapaz. Trata-se de um relógio de bolso datado de 1912. A peça vem acompanhada de uma fala "volte para mim". O rapaz depois de muitas tentativas, consegue retornar ao passado. Entrega o relógio a uma jovem atriz de 20 anos. Era a mesma senhora que lhe deu o relógio 68 anos depois.

As mulheres na Antiguidade Clássica

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - A cidade-estado de Eraclea estava protegida das invasões persas por imensos muros. Mas naquela manhã de 475 a.C., os habitantes viram um cortejo diferente: uma bela mulher vestida de guerreira, com vestais dançando à sua volta, caminhava em direção ao oráculo das deusas. Atrás dela havia uma imensa urna, um baú dourado...

Ele sabe o que diz

RUBENS NOGUEIRA (Blog Antes que eu me Esqueça) - O nosso país já viu passar pelo cargo vários homens públicos, entre eles alguns baianos tão notáveis como foram Ruy Barboza e Octavio Mangabeira, que fazem parte da história política brasileira. Gilberto Gil, profissão cantor e compositor de música popular, ficou bem na foto com seus antecessores. Digo mais: tudo somado, ele fez mais do que seus antecessores aqui citados.?

Os arquétipos femininos

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Carl Gustav Jung definiu os arquétipos e o inconsciente coletivo em sua obra de 1933. Segundo Jung, um dos fundadores da Sociedade Psicanalítica junto com Freud, primeiro o sucessor natural do médico vienense e depois inimigo mortal do mestre, os arquétipos seriam imagens primordiais pertencentes a uma diversidade de culturas e civilizações, com as mesmas características.

Lilith, a Lua Negra

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - O blog inicia uma série de seis textos sobre a identidade feminina. Neste primeiro post, temos Lilith, depois as mulheres na Antiguidade, os arquétipos femininos, duas visões literárias: uma com Machado de Assis e outra com Nelson Rodrigues. O ciclo termina com bruxas e feiticeiras. Não perca nenhum capítulo!

Eu quero uma casa no campo. A filosofia de Epicuro

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Quintus Horatius Flaccus, poeta romano dos fins da República e início do Império, tem duas palavras insertas num verso do seu “Carminum I, 11” muito conhecidas e decerto pouco entendidas. Dum loquimur fugerit invida aetas: carpe diem, quam minimum credula postero.

Ações públicas para Artes e a Cultura na Região Metropolitana de Sorocaba durante a pandemia

JOSÉ SIMÕES (Blog do Simões) - As administrações públicas das cidades de Salto e Araçoiaba da Serra apresentaram, na última semana de abril, editais destinados ao trabalho dos artistas das artes - Quarentena Cultural e Credenciamento para Oficineiros. Estes dois editais são os primeiros, dentre os municípios da Região Metropolitana de Sorocaba que, finalmente, saíram do papel. Isso...

Balanço de uma digressão inesquecível pelas ruas e teatros de Portugal (podcast e galeria de fotos)

PAULO BETTI (Blog do Paulo Cabra) - Sem a pretensão de menosprezar a crise do coronavírus e a crise política que sacode o Brasil, peço licença aos amigos que acompanham este blog para fazer um balanço fotográfico e em áudio (ou podcast, como queiram) de um momento importante de minha vida e carreira artística.

Outro Olhar: enigmas e labirintos

CARLOS ARAÚJO (Blog Outro Olhar) - A vida pode ser comparada a uma longa viagem. Podemos traçar um roteiro, mas nem sempre o destino pretendido pode ser alcançado. Acidentes de percurso, curvas perigosas, desvios forçados e outros imprevistos podem mudar os sentidos do caminho traçado. E para o viajante, o importante é ir em frente e curtir os bons ventos da jornada.

Uma visita à Casa do Artista em Lisboa na companhia do ator António Évora (vídeo)

PAULO BETTI (Blog do Paulo Cabra) - Em minha estadia em Portugal, fui à Casa do Artista visitar o António Évora, ator português que vem muito ao Brasil, muito amigo da Cristina Pereira. Fiquei bastante impressionado com o local, porque a Casa do Artista tem um teatro ativo na cidade de Lisboa, que fica pertinho da estação do metrô.

Sobrevivendo em meio à pandemia: o Decameron de Boccaccio

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Como sobreviver a uma pandemia? Como resistir física e psicologicamente a uma quarentena? No final do século XIV, o século da crise medieval, o professor e escritor italiano Giovanni Boccaccio nos ofereceu uma alternativa: retiro artístico, amizade e estórias. Decameron é um conjunto de 100 estórias e contos escritos, entre 1348 e 1353 - tempos da peste bubônica na Europa. Boccaccio dá voz aos jovens num antídoto contra o tédio do isolamento e o desespero perante à praga impiedosa.

Reprodução, arte e transformação

MARCELLO FONTES (Blog Em toda e em nenhuma parte) - A um clique, tudo se apresenta e pode ser fruído. Reproduz-se quase tudo de modos múltiplos e cada vez mais ágeis. Copiamos, modificamos e a partir daí produzimos novos conteúdos com os mais diversos formatos. Quais as consequências disso para a arte? O que acontece com ela quando é reproduzível de modo quase infinito?Para Walter Benjamin, este processo causa na obra de arte a perda de sua "aura", que consistiria naquele "aqui e agora" próprios daquilo que seria a obra de arte original, e que daria valor cultural, autenticidade e unicidade a ela. Com a possibilidade da reprodução, todo o conceito estético clássico de beleza e as categorias daí deduzidas sofrem mudanças profundas e definitivas. A própria noção de autenticidade passa a não ter mais sentido diante da reprodutibilidade.

São Pedro e a História do Vaticano

FREDERICO MORIARTY - O Latium estava à margem esquerda do rio Tibre. Ali floresceu uma pequena civilização, a dos Latinos. Com o tempo, os Latinos se juntaram aos Etruscos, Sabinos e Albigenses. Protegidas por 7 colinas, as terras muito baixas da margem do rio viram nascer a Cidade Eterna, Roma. O conflito e a discórdia... Continuar Lendo →

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: