Sobrevivendo em meio à pandemia: o Decameron de Boccaccio

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Como sobreviver a uma pandemia? Como resistir física e psicologicamente a uma quarentena? No final do século XIV, o século da crise medieval, o professor e escritor italiano Giovanni Boccaccio nos ofereceu uma alternativa: retiro artístico, amizade e estórias. Decameron é um conjunto de 100 estórias e contos escritos, entre 1348 e 1353 - tempos da peste bubônica na Europa. Boccaccio dá voz aos jovens num antídoto contra o tédio do isolamento e o desespero perante à praga impiedosa.

Reprodução, arte e transformação

MARCELLO FONTES (Blog Em toda e em nenhuma parte) - A um clique, tudo se apresenta e pode ser fruído. Reproduz-se quase tudo de modos múltiplos e cada vez mais ágeis. Copiamos, modificamos e a partir daí produzimos novos conteúdos com os mais diversos formatos. Quais as consequências disso para a arte? O que acontece com ela quando é reproduzível de modo quase infinito?Para Walter Benjamin, este processo causa na obra de arte a perda de sua "aura", que consistiria naquele "aqui e agora" próprios daquilo que seria a obra de arte original, e que daria valor cultural, autenticidade e unicidade a ela. Com a possibilidade da reprodução, todo o conceito estético clássico de beleza e as categorias daí deduzidas sofrem mudanças profundas e definitivas. A própria noção de autenticidade passa a não ter mais sentido diante da reprodutibilidade.

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑