Romance Épico

EVANDRO AFFONSO FERREIRA (Blog do Evandro) - Eu gosto de contar histórias de Guimarães Rosa. Contam que muitos e muitos anos atrás, fizeram um filme amador, em preto e branco, inspirado em Grande Sertão: Veredas. Filme pronto, o diretor insistiu para que Guimarães Rosa fosse assisti-lo. Depois de muita insistência, ele foi...

Distopias, o lado cético das pandemias

FREDERICO MORIARTY - Thomas Morus publicou o livro "A Utopia" em 1516, sua última obra. O antigo conselheiro de Henrique VIII caiu em desgraça após a defesa do casamento do rei inglês e contra a anulação. Henrique VIII, como todo bom monarca, mandou matar o filósofo, conseguiu a anulação do primeiro casamento e de quebra... Continuar Lendo →

Em algum lugar do passado

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Estamos em 1980 e uma nonagenária entrega um relógio a um belo rapaz. Trata-se de um relógio de bolso datado de 1912. A peça vem acompanhada de uma fala "volte para mim". O rapaz depois de muitas tentativas, consegue retornar ao passado. Entrega o relógio a uma jovem atriz de 20 anos. Era a mesma senhora que lhe deu o relógio 68 anos depois.

Love Story. A mais triste das histórias de amor do cinema faz 50 anos

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Erich Segal era um atleta regular. Em 1964 teve seu melhor resultado na Maratona de Boston. Terminou em 64° lugar com o tempo de 2h56'. Tornou-se professor de grego e latim clássico na Universidade de Harvard. Seu doutorado foi sobre Plauto. Pra melhorar a renda escrevia roteiros e tentava vendê-los para Hollywood...

Pretty Woman: ‘Uma linda mulher’ faz 30 anos

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Filmes comerciais são sempre execrados e achincalhados. "Uma Linda Mulher" era machista (hoje seria tachado de sexista) e inverossímel. Como acreditar no amor entre um lindo bilionário, frio e calculista, e uma prostituta de rua e do baixo meretrício, com suas falas grosseiras e roupas obscenas.

Os arquétipos femininos

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Carl Gustav Jung definiu os arquétipos e o inconsciente coletivo em sua obra de 1933. Segundo Jung, um dos fundadores da Sociedade Psicanalítica junto com Freud, primeiro o sucessor natural do médico vienense e depois inimigo mortal do mestre, os arquétipos seriam imagens primordiais pertencentes a uma diversidade de culturas e civilizações, com as mesmas características.

Nada irá bater tão forte quanto a vida. Rocky, um lutador.

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - A derrota no Vietnã abalara a moral conservadora norte-americana. O país passara quase 11 anos no Sudeste Asiático. Perdeu-se por lá US$ 1,5 trilhões e 59.000 soldados, mesmo tendo jogado mais bombas contra os vietcongs do que em toda a 2ª Guerra Mundial. Movimentos em defesa da paz, luta pelos direitos civis, recessão econômica e escândalos políticos complicavam a atmosfera conturbada do país.

Racismo e contexto

LÚCIA HELENA DE CAMARGO (Blog Todas as Telas) - O clássico filme “…E o Vento Levou”, de 1939, foi recentemente retirado da plataforma de streaming pela HBO, por ter sido alvo de polêmica nos Estados Unidos, depois da morte de George Floyd, que fez aflorar discussões sobre racismo no mundo todo. Queria fazer um convite para que pensemos juntos se essa é uma ação louvável ou mesmo necessária. Entendo o valor de certas revisões históricas, em casos extremos. Afinal, não convém permitir que membros de grupos de supremacia branca saiam por aí empunhando bandeiras nazistas. Seria por demais desrespeitoso a todos aqueles que sofreram em consequência dessas ideias execráveis, além de pernicioso para toda a sociedade, pela própria disseminação do ódio embutido nas ideias.

Todos a Bordo – Diário de um Pandemônio (Maio/2020)

TODOS A BORDO (DIÁRIO DE UM PANDEMÔNIO) - Algo assim como o diário de bordo de uma embarcação, em que os tripulantes ou passageiros tenham a liberdade de acrescentar uma página, sempre que sentirem a necessidade de se expressar sobre algum aspecto da realidade exterior ou interior. Assim pretende ser o blog “Todos a Bordo - Diário de um Pandemônio”, produção conjunta dos integrantes de Terceira Margem - Coletivo de Blogueiros Independentes, que estreou numa quinta-feira, em 7 de maio deste 2020.

Il Postino e o poeta comunista Pablo Neruda

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando la Pelota) - Não posso lhe dizer com palavras diferentes das que escrevi, quando você explica uma poesia, ela se torna banal. Melhor que a explicação é a experiência dos sentimentos que a poesia pode revelar a uma alma suficientemente aberta para ouvi-la. Essa fala acima é de Pablo Neruda ao... Continuar Lendo →

O dia em que os soviéticos transformaram os deuses americanos em humanos

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota)- Vladimir Kondrashin jogou basquete. Virou técnico do Spartak Moscou. Inovador, passou a treinar a seleção juvenil de basquete masculino da União Soviética em 1967. Passados quatro anos, Kondrashin assume a seleção principal com um objetivo: derrotar os sobrenaturais norte-americanos. Na mais triste Olimpíada da história, a de Munique, em 1972, os comunistas vinham de quatro derrotas...

Em casa, refletindo sobre a desigualdade

LÚCIA HELENA DE CAMARGO (Blog Todas as Telas) - A pandemia de coronavírus levou um coletivo sem fins lucrativos (como este Terceira Margem) de Copenhagen, na Dinamarca, criar o festival “Locked In Film Festival (A Film Festival In Quarantine)”, de curtas sobre diversas formas de morar, para celebrar o confinamento ao qual todos estamos submetidos. Em nome do...

Reprodução, arte e transformação

MARCELLO FONTES (Blog Em toda e em nenhuma parte) - A um clique, tudo se apresenta e pode ser fruído. Reproduz-se quase tudo de modos múltiplos e cada vez mais ágeis. Copiamos, modificamos e a partir daí produzimos novos conteúdos com os mais diversos formatos. Quais as consequências disso para a arte? O que acontece com ela quando é reproduzível de modo quase infinito?Para Walter Benjamin, este processo causa na obra de arte a perda de sua "aura", que consistiria naquele "aqui e agora" próprios daquilo que seria a obra de arte original, e que daria valor cultural, autenticidade e unicidade a ela. Com a possibilidade da reprodução, todo o conceito estético clássico de beleza e as categorias daí deduzidas sofrem mudanças profundas e definitivas. A própria noção de autenticidade passa a não ter mais sentido diante da reprodutibilidade.

Hair: a Ópera Rock e a Guerra do Vietnã

FREDERICO MORIARTY "- Você é homossexual?   - Não, mas iria pra cama com o Mick Jagger..."   O diálogo acima é uma das cenas magistrais do filme de Milos Forman, Hair (1979). A trupe de hippies decide se alistar para ajudar o caipira Claude (John Savage). Dono de uma imensa cabeleira loira, Woof (Don Dacus,... Continuar Lendo →

Acima ↑