A primeira noite de um homem e os sons do silêncio

FREDERICO MORIARTY - Michael Peschkowsky faria 90 anos em novembro. Aos 8, ele e a família conseguiram fugir do nazismo na Alemanha. Tornou-se dramaturgo e virou Mike Nichols. Único artista a ganhar as 4 estatuetas dos diversos prêmios de entretenimento (Oscar, Tony, Emmy e Grammy). Em 1966 adaptou "Quem tem medo de Virginia Woolf?", para o cinema, uma... Continuar Lendo →

As mil peles da serpente

 FREDERICO MORIARTY - Corria o frio inverno de 1920 na Alemanha. A miséria estava em todas as cidades e cantos do país. Os trabalhadores que tentavam reconstruir a nação carregavam sacos de dinheiro recebidos como salário, entretanto tais sacos mal permitiam que se comprasse pão e manteiga. Hitler começa a fazer discursos cada vez mais... Continuar Lendo →

Escuta Zé Ninguém e a função do orgasmo

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando la Pelota) - Você é um "Zé Ninguém", um "homem comum". Reflita sobre o duplo sentido dos termos “pequeno” e “comum”. Não fuja! Tenha a coragem de olhar para si mesmo! “Que direito você tem de me passares sermão?”, é a pergunta que vejo nos seus olhos assustados. É a pergunta que ouço na sua língua insolente, zé-ninguém.

A sombra em nossa personalidade e o arquétipo do bode expiatório

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Caravaggio recriou o mito de Judith e Holofernes no quadro que abre este texto. Judith é viúva. Sua cidade foi invadida e há desesperança entre as gentes. Ninguém é capaz de derrotar o conquistador Holofernes. Utilizando da sedução e malícia, a viúva embriaga o soldado, penetra em sua alcova, onde termina por decapitar o poderoso homem...

Janela Indiscreta: em tempos de pandemia o voyeurismo de Hitchcock ganha atualidade

FREDERICO MORIARTY - Dashiell Hammet e Raymond Chandler elevaram o romance policial a escala dos clássicos. A estética noir é simples e repetitiva. Ninguém é santo. Todos somos corruptos e temos um lado mal (alguns talvez só tenham este lado). Desconfie sempre das pessoas boas demais, elas são desequilibradas. Nos romances noir, a justiça é... Continuar Lendo →

Em algum lugar do passado

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Estamos em 1980 e uma nonagenária entrega um relógio a um belo rapaz. Trata-se de um relógio de bolso datado de 1912. A peça vem acompanhada de uma fala "volte para mim". O rapaz depois de muitas tentativas, consegue retornar ao passado. Entrega o relógio a uma jovem atriz de 20 anos. Era a mesma senhora que lhe deu o relógio 68 anos depois.

Os arquétipos femininos

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Carl Gustav Jung definiu os arquétipos e o inconsciente coletivo em sua obra de 1933. Segundo Jung, um dos fundadores da Sociedade Psicanalítica junto com Freud, primeiro o sucessor natural do médico vienense e depois inimigo mortal do mestre, os arquétipos seriam imagens primordiais pertencentes a uma diversidade de culturas e civilizações, com as mesmas características.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: