Na estreia de ‘Papo de Vinho’, uma conversa com Dominic Symington. Nesta 3ª (12), em SP, ele lança os rótulos alentejanos da Quinta da Fonte Souto

MARCO MERGUIZZO (Blog Aquele Sabor Que Me Emociona) - Proprietário e principal executivo de sete vinícolas, entre elas a que produz os famosos portos Graham’s, o produtor luso-escocês Dominic Symington fala sobre a tradição secular de sua família no mundo do vinho, em especial, em Portugal, onde está há mais de um século, e o sucesso dos rótulos produzidos pelo clã no Douro e, agora, na região do Alentejo. Confira os melhores momentos - e goles - do encontro que tive com ele em São Paulo.

Paulo Henrique Amorim

RUBENS NOGUEIRA (Blog Antes que me Esqueça) -- Meu registro no antigo INSS tem o número 468. Perdi a carteira de trabalho na Delegacia de Sorocaba. Nos muitos anos depois, minha coleção é de umas oito, sei lá. De uma anotação na loja de ferragens na Praça Tiradentes, passando pela Confederação Evangélica na rua Buenos Aires, Edifício da Bíblia, General Eletric, agências de publicidade e relações-públicas, Artes Gráficas Gomes de Souza, Standard Propaganda, e, desde 1976, Itaipu Binacional. Todo esse introito para explicar onde entra Paulo Henrique.

Instabilidade ambiental põe em risco gerações futuras

SANDRA NASCIMENTO (Blog Rio Sorocaba Conta Histórias) - As queimadas na Amazônia trouxeram à tona antigas discussões sobre o meio ambiente. Em 2003, quando nossa equipe de vídeo trabalhava na produção do documentário “Sorocaba, o rio de nossas vidas” (Loja de Ideias, 2005, 34 minutos), Paulo Celso da Silva, professor de Geografia Humana e historiador, já explicava em entrevista que o critério ambiental dos dias atuais deve ser diferente do momento em que valorizar a industrialização e a urbanização eram mais importantes do que conservar a natureza.

Milton Nogueira, radialista

RUBENS NOGUEIRA (Blog Antes que Me Esqueça) - Éramos seis. Três homens. Três mulheres. Ele era o segundo filho. A vocação, ele descobriu na adolescência. Tinha a ferramenta básica – Voz, Voice, Voix, Vocce. Era, entretanto, muito indisciplinado. Boêmio incorrigível. Viveu bem, morreu mal, o meu irmão Milton. Amigos, companheiros de trabalho, minhas irmãs, Hilda, Neide, Eunice e meu irmão Edward cuidaram dele até o fim. Sorocaba chorou sua morte sofrida.

Zé Muleque, o leva e traz (conto). Parte 1: Todos (até dona Rosa) contra Zé

JOSÉ CARLOS FINEIS (Blog Conversa de Armazém) - Zé Muleque devia ter desconfiado de que havia alguma coisa errada quando foi convidado – ele, que entrava sem bater – para a sala do prefeito naquela manhã de sol. Desde que pisara na Prefeitura, sentira um excesso de mesuras no ar, incomum para um aspone que, embora sem cargo no papel, era considerado “gente da casa”.

Memórias de um carioca de coração

RUBENS NOGUEIRA (Antes que Eu me Esqueça) - Aconteceu há muito tempo uma parte da história que vou contar. O rapaz vivia encantado com tudo ao seu redor: a terra, o mar, o ar. Sentado na mureta de pedra da praia do Flamengo, olhava o horizonte: Nictheroy, a praia de Icaraí, os morros, as montanhas. Aspirava o ar puro, marinho, salgado e fresco. Baixava os olhos e via sob seus pés as pedras cobertas de verde limo e cravejadas de mexilhões. Ficava horas por ali.

No céu do Brasil, a enorme nuvem de fumaça proveniente da Floresta Amazônica retrata o fogo, a dor e a insensatez

SANDRA NASCIMENTO (Rio Sorocaba Conta Histórias) - Como milhares de brasileiros puderam testemunhar com seus próprios olhos, na segunda-feira, 19 de agosto, uma cortina de fumaça cobriu várias cidades do Estado de São Paulo, incluindo a capital, assim como áreas dos estados do Mato Grosso e Paraná. A enorme nuvem pôde ser vista do espaço e foi registrada pela Nasa por imagens de satélite. Por trás da extensa mancha, constatava-se a dramática realidade de se ter grande parte de uma floresta em chamas. Nada mais, nada menos do que significativos trechos da Floresta Amazônica.

Ser escritor, o sonho de uma vida!

RUBENS NOGUEIRA (Antes que me esqueça) - Por que é tão mais fácil pensar? Tudo flui, como nos sonhos. Pôr no papel é que são elas. Tomar notas. Muitos anos depois a tarefa será factível. Cansaço físico. Lassidão. No fundo da cabeça o assunto. Quase pronto. Meu Deus, já se passaram quinze anos. Vai durar mil anos. Ou quarenta. Pensava: “não estarei aqui para ver”.

Aves incríveis, cantadas em verso e prosa, habitam o rio Sorocaba

SANDRA NASCIMENTO - Algumas aves, bem diferenciadas por suas cores e tamanhos, estão sendo vistas frequentemente nas proximidades do rio. Para esta edição, apresentaremos cinco delas fotografadas às margens do Sorocaba na cidade de Boituva, pela fotógrafa Dag Astro. Foram escolhidas por inspirarem lendas, músicas, poesias e por fazerem parte do imaginário popular. (Blog Rio Sorocaba Conta Histórias)

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑