Romance Épico

EVANDRO AFFONSO FERREIRA (Blog do Evandro) - Eu gosto de contar histórias de Guimarães Rosa. Contam que muitos e muitos anos atrás, fizeram um filme amador, em preto e branco, inspirado em Grande Sertão: Veredas. Filme pronto, o diretor insistiu para que Guimarães Rosa fosse assisti-lo. Depois de muita insistência, ele foi...

Novos blogs reafirmam Terceira Margem como referência em literatura e comportamento

JOSÉ CARLOS FINEIS (Terceira Margem) - Terceira Margem - Coletivo de Blogueiros Independentes publica hoje o post de estreia do “Blog do Evandro”, assinado pelo premiado escritor Evandro Affonso Ferreira. A chegada de Evandro Affonso Ferreira eleva para 19 o número de blogueiros reunidos no Terceira Margem, que teve, em meses recentes, outras duas estreias de peso: o "Blog Plural", da advogada e escritora Lucy Rocha (30 de maio), e o blog "Outro Olhar", do jornalista e escritor Carlos Araújo (15 de abril).

Carta inédita de Escobar a Capitu

Estes dias deixaram em minha surrada caixa de correio, uma pequena caixa de papelão envolvida naqueles papéis rosa de mercearia barata. Dentro havia uma correspondência antiga tendo como destinatário FREDERICO MORIARTY. Reproduzo-a abaixo e com exclusividade para os leitores do Terceira Margem pelo inestimável valor estórico e por entender ser verídica e autêntica sua origem.... Continuar Lendo →

Os outros

FREDERICO MORIARTY (CRÔNICA) Ela colocou o melhor e mais caro biquíni. Amarrou no ponto exato em que o derrieré parece maior e mais arredondado. Não só isso, o nó servia para ressaltar o corpo e o desejo de quem visse. Parou em frente a cascata artificial. Deixou algumas gotas respingar sobre o corpo e começou... Continuar Lendo →

Rua das Pedras, 65

RUBENS NOGUEIRA (Blog Antes que me Esqueça) - Essa Rua das Pedras 65, para quem já foi a Búzios, é muito conhecida. O número 65 indica o ano seguinte à primeira presença de Brigitte Bardot naquele paraíso. Tão famoso ficou que logo foi descoberto pelos argentinos e virou um pandemônio, para usar a palavra do dia.

Em algum lugar do passado

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Estamos em 1980 e uma nonagenária entrega um relógio a um belo rapaz. Trata-se de um relógio de bolso datado de 1912. A peça vem acompanhada de uma fala "volte para mim". O rapaz depois de muitas tentativas, consegue retornar ao passado. Entrega o relógio a uma jovem atriz de 20 anos. Era a mesma senhora que lhe deu o relógio 68 anos depois.

Janete Clair: a rainha das telenovelas brasileiras

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Jenete Emmer nasceu em 1925 nas Minas Gerais. Para ajudar a família, aos 14 anos fazia bico de locutora de rádio. Depois trabalhou em farmácia e de datilógrafa. Voltou para as rádios. Aos 25 anos casou-se com o escritor Dias Gomes. Por ser comunista, Gomes foi perseguido e o casal mudou-se para o Rio no início dos anos 60.

As personas de Oscar Wilde em “O Retrato de Dorian Gray”

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Raramente a obra de um artista confunde-se com a vida do mesmo. Escritores visionários transcendem sua insignificância, ou entram num conflito interno em que a arte nega a existência e vice-versa. Interpretar grandes obras nos é tortuoso, pois a primeira tentação é buscar nas experiências individuais as pistas para entendermos a questão estética.

Eu quero uma casa no campo. A filosofia de Epicuro

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Quintus Horatius Flaccus, poeta romano dos fins da República e início do Império, tem duas palavras insertas num verso do seu “Carminum I, 11” muito conhecidas e decerto pouco entendidas. Dum loquimur fugerit invida aetas: carpe diem, quam minimum credula postero.

Outro Olhar: enigmas e labirintos

CARLOS ARAÚJO (Blog Outro Olhar) - A vida pode ser comparada a uma longa viagem. Podemos traçar um roteiro, mas nem sempre o destino pretendido pode ser alcançado. Acidentes de percurso, curvas perigosas, desvios forçados e outros imprevistos podem mudar os sentidos do caminho traçado. E para o viajante, o importante é ir em frente e curtir os bons ventos da jornada.

Apaixonada por ciências naturais, a jovem Leopoldina trouxe de além-mar uma expedição que deslumbrou o mundo com a flora e a fauna do Brasil

SANDRA NASCIMENTO (Blog Rio Sorocaba conta Histórias) - Há mais de 200 anos, em 15/8/1817, partiram de Livorno, Itália, para o Brasil as naus portuguesas Dom João VI e São Sebastião. A bordo estava toda a comitiva de Carolina Josefa Leopoldina Francisca Fernanda de Habsburgo-Lorena (1797-1826), arquiduquesa da Áustria que, após 86 dias de travessia pelo Atlântico, chegaria ao Brasil em 5//11/1817, para se casar com o então príncipe Dom Pedro (1798-1834). Com Leopoldina também vieram os cientistas bávaros Johann Baptist von Spix (zoólogo) e Carl Friedrich Phillip Von Martius (médico e botânico), nomes estes bem conhecidos das Ciências Naturais do século 19.

Além do Bem e do Mal: Caim e Abel na obra de John Steinbeck

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Adão e Eva primeiro tiveram dois filhos, Caim e Abel. O primogênito arava a terra e o caçula cuidava dos rebanhos. Caim entregou a Deus o fruto do seu trabalho em dádiva. Já Abel entregou-lhe um bezerro. O senhor recebeu o novilho com regozijo e menosprezou os frutos de Caim. Rejeitado por Deus, ele...

Sobrevivendo em meio à pandemia: o Decameron de Boccaccio

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Como sobreviver a uma pandemia? Como resistir física e psicologicamente a uma quarentena? No final do século XIV, o século da crise medieval, o professor e escritor italiano Giovanni Boccaccio nos ofereceu uma alternativa: retiro artístico, amizade e estórias. Decameron é um conjunto de 100 estórias e contos escritos, entre 1348 e 1353 - tempos da peste bubônica na Europa. Boccaccio dá voz aos jovens num antídoto contra o tédio do isolamento e o desespero perante à praga impiedosa.

Vídeo: No caminho com Miguel Torga

PAULO BETTI (Blog do Paulo Cabra) - Antes de vir para Portugal para uma turnê de três meses com minha peça “Autobiografia Autorizada”, resolvi me atracar com autores portugueses: Valter Hugo Mãe, Lobo Antunes, Ricardo Araujo Pereira, Isabela Figueiredo e o pungente “Luanda, Lisboa, Paraíso” de Djaimilia Pereira de Almeida...

Não deixarei o legado de nossa miséria

FREDERICO MORIARTY (Blog Pipocando La Pelota) - Ray Bradbury escreveu o romance "Fahrenheit 451" em 1953. Na distopia futurista, a sociedade abandonara o pensamento crítico, o debate de ideias e a leitura. Basicamente assistiam televisão ou, no máximo, folheavam livros sem palavras ou letras. Os bombeiros agora caçavam quem gostava de ler e possuía livros. Caso alguém encontrasse livros, seria incinerado a 233°C. Os subversivos leitores eram perseguidos e mortos pelo Sabujo, um cão cibernético de oito patas e 10.000 venenos.

Lila

JOSÉ CARLOS FINEIS (Blog Conversa de Armazém) - Desde que os animais começaram a aparecer, ele se perguntava: “Será que ela virá?” Não a censuraria se não viesse, porque ele fora realmente cruel com Lila, a vira-lata de pelos dourados. Mostrara-se indigno de seu amor da pior maneira possível. Não porque quisesse, mas porque não havia mais jeito de ficar com ela.

Zé Muleque, o leva e traz (conto). Parte 3 (final): Nada que um bolo não resolva

JOSÉ CARLOS FINEIS (Conversa de Armazém) - "Ora, quem diria. O filho do velho boticário meu amigo bancando jagunço de novela. Seu pai era um grande homem e deve estar lá no Céu, morrendo de vergonha de você, seu corno manso. Quem mais está aí? Venham aqui para a frente. Sejam homens, saiam das sombras. Vamos conversar e resolver a situação com saliva, pois com chumbo, não sei se vocês perceberam, alguém certamente não vai dormir em sua cama esta noite."

Seja feliz, nosso filho.

PAULO BETTI (Blog do Paulo Cabra) - Decidi que iria apresentar todas exibições do filme ao público. E assim foram 55 sessões. No Rio, Belém, Santos, Sorocaba, Brasília, São Paulo, e, ainda a fazer, Teresina (o cinema mais lindo, 60 caixas de som), Floriano e Picos. Em todas elas, pedi carinho e compreensão pro nosso trabalho. Como se o tivesse ido buscar na maternidade e agora o fosse mostrar no lugar onde foi gestado. Um lançamento no varejo afetivo. Um orgânico num momento tóxico.

Projeto de documentário sobre o rio Sorocaba recebe apoio da Associação Mulheres pela Paz – Frauen für e V. Augsburg

SANDRA NASCIMENTO (Blog Rio Sorocaba Conta Histórias) - “Sorocaba, o rio que reviveu”, o projeto de produção de um documentário sobre o rio Sorocaba, que tem neste blog o seu porta-voz, recebeu recentemente o importante apoio da Associação Mulheres pela Paz - Frauen für e V. Augsburg, por meio de sua coordenadora e embaixadora da paz na Alemanha (pelo Círculo Universal dos Embaixadores da Paz Suíça/França), Alexandra Magalhães Zeiner.

O Sol nem sempre é para todos

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - Parece um momento adequado para relembrar um filme que fala sobre integridade, compaixão e busca por justiça, atualmente valores pouco cultivados neste País em diversas instâncias. Em “O Sol é para Todos”, advogado Atticus Finch, vivido por Gregory Peck, assume a defesa de Tom Robinson (Brock Peters), rapaz negro acusado... Continuar Lendo →

Sexo, drogas e… Shakespeare

O jornal Valor Econômico publicou, na última sexta-feira, um texto que escrevi sobre o autor Jo Nesbo, que fala sobre seus livros e suas paixões. A Editora Record publica esse mês seu thriller "Macbeth".

Memória – O Brasil na guerra

RUBENS NOGUEIRA - Aquela que durou quase seis anos e incendiou o mundo, incluindo Europa e Japão. Começou em setembro de 1939, quando Adolf Hitler invadiu a Polônia, e terminou em maio de 1945, com a bomba atômica sobre Nagazaki e Hiroshima. Nascido em 1928, dez anos após o término da Primeira Grande Guerra (1914/1918),... Continuar Lendo →

A sedução do abismo (conto). Parte 1: Uma executiva na janela

JOSÉ CARLOS FINEIS - "Então vamos fazer assim. Em vez de eu falar sobre mim, você fala. Mas pelo amor de Deus, não quero ouvir essas máximas idiotas que as pessoas publicam nas redes sociais. Você tem até as seis para dizer tudo o que puder para me fazer mudar de ideia. Eu prometo ouvi-lo e considerá-lo. Antes disso não vou pular, a menos que algum idiota tente me tirar à força daqui."

Palavras Negras: o racismo na literatura brasileira

LUIZ PIEROTTI - Há algum tempo, falamos sobre a escritora Carolina Maria de Jesus, mulher negra, favelada, e muito importante para a história da literatura brasileira, assim como para a compreensão dos processos de marginalização que nos rodeiam. "Machado de Assis Real", projeto da Faculdade Zumbi dos Palmares Mas ela não foi a única, diversos... Continuar Lendo →

Ponte sobre o rio dos sonhos

RUBENS NOGUEIRA - Ah! Como é bom ler. Este burro velho, eterno aprendiz, tem a alma lavada diante do texto de Monica de Bolle (Revista Época, 12-11-18) (*). Ela cita Fernando Pessoa: “Da distância imprecisa, e, com sensíveis/ movimentos da esperança e da vontade,/ Buscar na linha fria do horizonte/ A árvore, a praia, a... Continuar Lendo →

Cultura Brasileira

RUBENS NOGUEIRA - O Jornal do Brasil dedicou uma página inteira ao livro “Cultura Brasileira hoje: diálogos”, mostrando, graças a Deus, que o mais que centenário veículo de comunicação – impresso e digital – está aí para incentivar os valores eternos da Educação e da Cultura. A autora do livro enriquece a reportagem com o... Continuar Lendo →

À flor da Terra

JOSÉ CARLOS FINEIS - Havia horas que ela se perguntava o que podia lhe ter ocorrido. Não que isso fizesse muita diferença: por tudo o que conseguia sentir e perceber desde que recobrara a consciência, sabia que estava muito ferida e, talvez, desenganada, apesar do ar que aspirava com dificuldade pelas narinas amassadas e do... Continuar Lendo →

A ratoeira

JOSÉ CARLOS FINEIS - O velho passou meses levando vasilhas com líquidos, canos, latas, engrenagens e toda sorte de ferramentas e engenhocas para cima da laje de sua loja – várias semanas de trabalho duro e misterioso que entrava pelas madrugadas – porque sabia que, mais dia menos dia, eles chegariam. E eles chegaram. Na... Continuar Lendo →

Não esqueçamos Carolina

LUIZ PIEROTTI - Nascida em 14 de março de 1914, Carolina Maria de Jesus foi uma das primeiras e mais importantes escritoras brasileiras. Representava uma parcela muito oprimida da sociedade: era negra, favelada e trabalhava como catadora de papéis. Em vida, publicou 4 livros, Casa de Despejo, Casa de Alvenaria, Pedaços da Fome e Provérbios,... Continuar Lendo →

O amor acabou. Devo me separar? (final)

JOSÉ CARLOS FINEIS - Priscilla terminou de responder ao questionário numa tarde de céu limpo e pássaros no jardim, cuja beleza ela admirava da varanda mas não conseguia sentir. Quando começou o teste, ela achava que estava preparada para confrontar-se com seus sentimentos e emoções, mas não estava. Dia após dia, noite após noite, foi... Continuar Lendo →

Sagan 1

JOSÉ CARLOS FINEIS - Tudo já se falou sobre o programa HSLEP, sigla inglesa para Homo Sapiens Life on Exoplanets; sem dúvida, o projeto mais caro, complicado e polêmico de toda a história da conquista espacial – e que deflagrou, em uma comunidade científica furiosamente dividida, uma guerra de adjetivos como “bizarro”, “ridículo”, “megalomaníaco”, “pragmático”,... Continuar Lendo →

Terceira Margem: o conto, um coletivo

LUIZ PIEROTTI - O ano, 1962. Era publicado a obra Primeiras Estórias, sexto livro do grande escritor mineiro João Guimarães Rosa. Composto de 21 contos, traz consigo uma pérola da literatura nacional, o conto "A Terceira Margem do Rio". Enigmático, plural, impactante, a "terceira margem" é uma história que se reinventa a cada nova leitura,... Continuar Lendo →

Acima ↑