O hot chicken de Johnny ‘bad guy’ Cash, o Vietnã e a boa mesa de Nashville, a capital da country music

MARCO MERGUIZZO - Indicado pelo jornalista e contista de quatro costados José Carlos Fineis, autor do imprescindível blog Conversa de Armazém, neste Coletivo, assisti dia desses ao documentário Nixon and the Man in Black, em exibição na Netflix, e me encantei com a trajetória contundente, errática e de posições polêmicas, porém, extremamente apaixonante, do cantor... Continuar Lendo →

A deliciosa “Dix pour cent”

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - A série “Dix pour cent” nada tem de épico ou trágico. Então, se você é fã de “Guerra dos Tronos”, não vai gostar dela. Caso você aprecie uma afiada comédia de costumes, então essa é a pedida. A agência Ask, abreviação de “Agence Samuel Kerr” (o nome do dono) atende... Continuar Lendo →

Paixão pelas palavras

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - Poucos sortudos no mundo conseguem trabalhar apenas em tarefas que lhes trazem prazer. Essa não é uma particularidade dos tempos atuais. Eliminando da equação aqueles que têm o objetivo claro de ganhar cada vez mais dinheiro e seguem construindo uma carreira para bater as próprias metas nesse sentido, a maioria... Continuar Lendo →

A vida não cabe numa moldura

RITA BRAGATTO – Ontem à tarde, estava caminhando pelo vilarejo de San Vito Romano, na Itália, onde resido atualmente. Trata-se de uma comuna medieval com três mil habitantes. No alto da colina, as casas se amontoam umas às outras. As ruas são uma sucessão de becos. Os varais de roupa escapam das janelas e cruzam... Continuar Lendo →

É hora de aceitar o convite da vida!

NILSON RIBEIRO - Dia desses participei de uma atividade do Teatro do Oprimido. Dessas coisas que gosto de ousar para abrir portas criativas na minha vida. Há sempre algo o que aprender quando fazemos coisas que nos tiram da zona de conforto. Em certo momento, uma das atrizes vem em minha direção, faz contato visual... Continuar Lendo →

Jazz e vinho: uma dupla super afinada que dá samba

MARCO MERGUIZZO - Confesso. Tenho algumas grandes paixões na vida que fazem meu coração bater mais forte: a literatura, o cinema, o jazz e o vinho - não necessariamente nessa ordem. Cada uma delas é capaz de tocar fundo a minha alma, aflorar minha sensibilidade, tirando-me, mesmo que por alguns poucos instantes, das batalhas cotidianas... Continuar Lendo →

Bonis nocet, qui malis parcit

LUIZ MARINS - “Quem poupa os maus, ofende os bons”. Originalmente do latim “bonis nocet, qui malis parcit”, este ditado é repetido em vários países: “Who pardons the bad, injuries the good”, na Inglaterra;  “Chi perdona ai cattivi, nuoce ai buoni” na Itália; “Qui épagne le vice, fait tort à la vertu” na França; “Ofensa... Continuar Lendo →

Prefere o ódio quem se alimenta dele

VANESSA MARCONATO NEGRÃO (TEXTO) E PEDRO NEGRÃO (FOTO) - De tempos em tempos conceitos caem, substituídos ou obsoletos, mas desumanizar não é tolerado, aliás, não devia ser. Em que pedaço do caminho passamos a ignorar a bússola do bom senso? Como viemos parar aqui? Com tantas possibilidades, chegamos ao consenso de optar pelo mais vil... Continuar Lendo →

País Zelig

FREDERICO MORIARTY - Woody Allen inventou Zelig em 1983. Talvez o mais genial dos seus filmes. Usando técnicas (hoje pré-históricas) de chroma key (fundo verde), ele botou seu personagem quase real nos anos 1920/30. Na foto, vemos Zelig em reunião com Al Capone. Zelig é um cidadão médio inexpressivo. Porém tem um dom/doença: transmuta-se instantaneamente em... Continuar Lendo →

Crítica: artEfeito

JOSÉ SIMÕES - A proposta cênica do ArteEfeito é a de colocar o espectador como o sujeito da experiência. No espetáculo somos colocados diante de um espetáculo híbrido que mistura elementos do teatro, da performance, do site specific  e do ativismo. Nosso desafio é precisamente considerar os elementos da teatralidade presentes. A palavra teatralidade foi... Continuar Lendo →

Minha coragem é sinônimo de fé

RITA BRAGATTO - Era pra ser outra simples visita a uma igreja famosa, dentre tantas que já fiz na vida. Chovia em Pádova, na Itália, e quase não havia lugar para estacionar perto da Basílica de Santo Antonio. O movimento era grande. Pudera: domingo. Dia de missa. Mas acabei encontrando uma vaga bem ao lado... Continuar Lendo →

Nobre amor vira-lata

NILSON RIBEIRO - Oggi apareceu do nada aqui em casa. Um filhotinho muito simpático, vira-lata, que chamamos inicalmente de Doddy porque ainda não entendíamos direito o nome que nosso pequeno Arthur, com então dois anos, havia escolhido. Parecia Doddy, mas podia ser Toddy ou até George... Mas é Oggi. Teoricamente ele pertenceria aos tios de... Continuar Lendo →

Eterna

FREDERICO MORIARTY - Entrei pela imensa porta e vi centenas de velas daquelas antigas, bem grossas, acesas, com chamas desconexas. Veio um imenso salão escuro, quase imperceptível à visão. Havia uma profusão de claro e escuro que me conduzia ao interior. Aos poucos, a tênue luz das velas permitia que observasse as cadeiras centenárias, as... Continuar Lendo →

Deixe comigo…

LUIZ MARINS - Se alguém lhe disser: "- Deixe comigo!", invente a mais absurda desculpa, mas não deixe com ele. Fico literalmente apavorado quando uma coisa precisa ser feita com urgência e alguém diz: - Deixe comigo!  É a maior garantia de que nada será feito! Todo mundo já passou pela experiência de ter confiado... Continuar Lendo →

Giap & Golias

FREDERICO MORIARTY "- Você é homossexual?   - Não, mas iria pra cama com o Mick Jagger..."   O diálogo acima é uma das cenas magistrais do filme de Milos Forman, Hair (1979). A trupe de hippies decide se alistar para ajudar o caipira Claude (John Savage). Dono de uma imensa cabeleira loira, Woof (Don Dacus,... Continuar Lendo →

Crítica. Ou um exercício de humildade.

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - Vou pedir licença ao leitor dos textos deste coletivo Terceira Margem para convidá-lo a pensar um minuto sobre a questão: ao ler uma resenha ou crítica, quanto daquilo que está escrito influencia na sua escolha futura de filme ou série para assistir? Será que a percepção muda caso o texto... Continuar Lendo →

Nem um oceano nos separa

RITA BRAGATTO - 9.757km. Segundo o Google Maps, essa é a distância, em linha reta, que separa a Itália (país onde estou, neste momento) de São Paulo (estado onde mora a maioria da minha família, amigos e pacientes). É longe, se considerarmos que temos um oceano entre nós e toda a logística que envolve esse... Continuar Lendo →

O tempo que o tempo tem

VANESSA MARCONATO NEGRÃO (TEXTO) / PEDRO HENRIQUE NEGRÃO (FOTO) - Antes de mais nada: a gaiola fica aberta. Só serve de pouso aos pássaros que vem comer quirera e tomar água. Vez ou outra um se prende lá dentro, meu pai deixa o que estiver fazendo pra libertar a ave e abreviar sua agonia. Quando... Continuar Lendo →

Braço curto e corpo mole

LUIZ MARINS - Em toda empresa haverá pessoas de “braço curto” e que fazem “corpo mole” quando se trata de fazer aquilo que se espera delas. “Braço curto” é aquela pessoa que não ajuda. “- Seu braço não alcança as demais para ajudar”, como me disse um colaborador. Já pessoas que fazem “corpo mole” são... Continuar Lendo →

Herdeiros de Guerrero

GERALDO BONADIO - No início do século XX, os Estados Unidos, atentos à sua condição de país cujas fronteiras, a leste e oeste, são os oceanos Pacífico e Atlântico, estavam determinados a rasgar um canal para interligá-los. Isso lhes permitiria duplicar, na prática, seu poderio militar naval e alavancar os interesses econômicos de suas empresas.... Continuar Lendo →

O fio do destino

RITA BRAGATTO - O que faz uma pessoa se conectar a outra: o espaço físico ou a energia? Quanto tempo é necessário para conquistar um coração alheio: um segundo ou uma vida? O que é preciso para tocar, profundamente, a alma de outra pessoa: a frequência ou a intensidade? Na semana passada, me peguei pensando... Continuar Lendo →

Há um mestre perto de você

NILSON RIBEIRO - Eu conheço e reconheço muitos mestres. Todos eles me fizeram – e ainda fazem -  aprender alguma coisa importante na minha jornada. Alguns são santos, outros sábios. Alguns nem tanto: bêbados encontrados na noite, loucos poetas com suas canetas trêmulas praticando seu ofício de dizer o indizível. Outros ainda amigos do meu... Continuar Lendo →

Carnívoros, bois e outras bovinices

MARCO MERGUIZZO - Em tempos de satanização nutricional, modismos culinários e bovinices gastronômicas, que de tempos em tempos vilanizam e em seguida absolvem este ou aquele alimento, crucificar os adeptos desta ou daquela corrente alimentar virou carne de vaca, com o perdão do trocadilho. Alvo preferencial, a proteína animal - sobretudo a de origem bovina... Continuar Lendo →

A arte de sair de cena com classe

LUIZ MARINS - Embora poucos gostem de falar nisso, nós não somos imortais. Da mesma forma, nosso tempo como líderes é limitado. Uma saída de cena com classe – enquanto estivermos no topo – é preferível a uma rápida derrocada montanha abaixo. Por outro lado, alguns líderes empresariais têm o bom senso de partir com... Continuar Lendo →

As árvores da minha vida

PEDRO HENRIQUE NEGRÃO (FOTO) VANESSA MARCONATO NEGRÃO (TEXTO) - A silhueta do Jatobazeiro mora na minha memória desde sempre. Desde que eu ia de bicicleta, aos 4 anos pra escola da fazenda, a grande árvore dividia o caminho ao meio. Dali em diante é só descida. Depois o estábulo dos búfalos, cujos olhos azuis me... Continuar Lendo →

Um retrato cru do racismo

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - Sem meias palavras ou meias verdades, nada de eufemismos ou pílulas douradas. “Infiltrado na Klan” (BlacKkKlansman, 2018), dirigido por Spike Lee, fala sobre racismo de maneira crua, direta e pragmática. Ao contar a história, baseada em fatos reais, do policial negro Ron Stallworth (John David Washington), que decide investigar a... Continuar Lendo →

O dia em que eu vi o Jango

GERALDO BONADIO - Há sessenta anos o Brasil se preparava para realizar, em outubro, na maioria dos seus 21 Estados, eleições para governador, vice (votado separadamente), um senador e deputados federal e estadual. São Paulo era governado por Jânio Quadros que, com uma coligação de centro direita, tentava eleger, como sucessor, seu Secretário da Fazenda,... Continuar Lendo →

A difícil missão de ser pedestre

FABIANA BLASECK SORRILHA - Todos somos pedestres, já diz o lema daqueles que defendem a mobilidade humana. Esse é o fundamento básico da segurança no transitar:  protegermos o mais frágil. Afinal, todos nós vamos usar o meio de locomoção mais democrático que existe em algum momento: seremos pedestres. Mas o pedestre, frágil como é, quase... Continuar Lendo →

Nossos lugares sagrados

NILSON RIBEIRO - Há muitos lugares considerados sagrados no mundo todo. O Ganges para os Hindus, o Caminho de Santiago de Compostela para místicos e buscadores, Meca para os muçulmanos, Lhasa para os budistas, o Monte Sinai, Jerusalém, e tantos outros pontos de peregrinação, meditação, purificação e oração. Todos eles lugares especiais para quem assim... Continuar Lendo →

Viver na Europa é chique?

RITA BRAGATTO - Semana passada, saí pra caminhar logo cedo. No quarteirão seguinte, dei de cara com um homem. Tinha lá seus sessenta anos. Uma bela casa. Uma Mercedes na garagem. E uma WAP auxiliando-o na lavagem. A cena, obviamente, me provocou muitas reflexões. Para qualquer brasileiro isso seria um choque. Um homem com um... Continuar Lendo →

Minha padoca, meu amor

MARCO MERGUIZZO - Você entra e, pronto, vira criança de novo. Na padaria não tem regime, não tem dieta, não tem modinha gastronômica que sobreviva. Padaria é lugar para mandar pro espaço o exame cardiológico e devorar sem medo a salsicha afogada no molho de tomate. Ou a descomunal e acintosa coxa de frango empanada,... Continuar Lendo →

Não brigue com o tema

LUIZ MARINS - Foi formada uma comissão para decidir quais os passos que deveriam ser dados para transferir uma instituição federal do Rio de Janeiro para Brasília. A decisão da transferência já havia sido tomada pelo governo e estávamos sendo solicitados a dizer o “como fazer”. Na primeira reunião da comissão, um membro disse: -... Continuar Lendo →

No bar com Nat King Cole

MARCO MERGUIZZO – Cara a cara com um legítimo Daiquiri preparado nos bares de Havana dos anos 1940 e 50, o cantor de jazz norte-americano Nat King Cole (1919-1965) que, neste sábado, dia 23/3, caso estivesse vivo, completaria o seu centésimo aniversário, sucumbia inexoravelmente diante deste clássico da coquetelaria mundial. Em especial, em dois endereços... Continuar Lendo →

Prêmio Shell de teatro

JOSÉ SIMÕES - O sorocabano Zé Henrique de Paula ganhou na noite de ontem o prêmio SHELL  - direção  - pelo espetáculo “Um panorama visto da ponte”, texto de Arthur Miller e participação de Rodrigo Lombardi e Sérgio Mamberti no elenco O Prêmio Shell de Teatro foi criado em 1988, para contemplar, todos os anos,... Continuar Lendo →

A terra dos castos

GERALDO BONADIO - As lideranças brasileiras – civis, religiosas, administrativas – reagem de forma irada a qualquer iniciativa das autoridades da saúde pública ou da educação que, partindo da constatação que a população brasileira tem corpo, intentam, de alguma forma, fornecer aos adolescentes algum tipo de informação fundamentada sobre as funções sexuais. Não há nada... Continuar Lendo →

O prelúdio do fim do mundo

VANESSA MARCONATO NEGRÃO (TEXTO) E PEDRO NEGRÃO (FOTO) - Como é a vida quando você percebe que tem mais passado que futuro? Ainda não sei, mas faço uma vaga ideia. Quando num domingo abafado, o tempo vem lhe cutucar as costas com suas unhas afiadas. Bafejando em sua nuca que você esqueceu de tomar os... Continuar Lendo →

Eu ponho o pé. Deus põe o chão.

RITA BRAGATTO - Eu vim para a Europa em maio do ano passado. Tive um convite para estudar em uma universidade exclusiva de terapias, na França. Eu sempre quis morar fora do Brasil. A oportunidade caiu como uma luva. É óbvio que na escola eu aprendi muita coisa nova. Técnicas alternativas. Mas o mais interessante... Continuar Lendo →

O amor acabou. Devo me separar?

JOSÉ CARLOS FINEIS - "Só comece a responder se estiver convicto(a) de que deixou irremediavelmente de amar sua esposa ou marido." A professora Priscilla, PhD em Economia, 45 anos, casada, dois filhos adultos, ficou alguns segundos com o olhar perdido na tela, como que a avaliar pela última vez se valia a pena gastar 2.799... Continuar Lendo →

Leis de trânsito abrandadas e a vida em perigo

FABIANA BLASECK SORRILHA - Vidas estão em risco todos os dias nas ruas brasileiras. E, para piorar, pouco se pensa em medidas para a redução das mortes no trânsito. Para piorar esse cenário, recentemente o governo federal se posicionou pela retirada dos equipamentos que inibem o excesso de velocidade das rodovias: os radares ou as... Continuar Lendo →

Todo talento é importante

NILSON RIBEIRO - Meu quintal é um privilégio. Os flamboyants nos dão lindas flores vermelhas. As pitangueiras nos presenteiam com doces pitangas, as mangueiras, a seu tempo, ficam vergadas de mangas. Os pássaros nos alegram com todos os cantares... Recordo-me da parábola dos talentos, proferida pelo Mestre Jesus. O patrão distribui os talentos aos empregados... Continuar Lendo →

Abaixo o “eu consigo”

LUIZ MARINS - Chamo o bombeiro-encanador. Tem até site na Internet. Chega em minha casa e mostro a ele o vazamento e pergunto: o sr. sabe consertar? Ele responde “acho que consigo”.  Contrato um pintor que se dizia especializado em pintura texturizada.  Pergunto se ele realmente sabe fazer pintura texturizada. Ele responde, “eu consigo”. Contratei... Continuar Lendo →

Sagan 1

JOSÉ CARLOS FINEIS - Tudo já se falou sobre o programa HSLEP, sigla inglesa para Homo Sapiens Life on Exoplanets; sem dúvida, o projeto mais caro, complicado e polêmico de toda a história da conquista espacial – e que deflagrou, em uma comunidade científica furiosamente dividida, uma guerra de adjetivos como “bizarro”, “ridículo”, “megalomaníaco”, “pragmático”,... Continuar Lendo →

Quando um anjo passa…

NILSON RIBEIRO - Não é sempre que percebemos. É porque nem sempre estamos devidamente atentos. A verdade é que anjos estão o tempo todos nos socorrendo, nos ensinando, nos mostrando caminhos, nos consolando, enviando mensagens que tornam nossas vidas mais completas. O primeiro requisito para reconhecer essa mensagem é estar em silêncio e profundamente conectado... Continuar Lendo →

Que eu floresça onde a vida me plantar

RITA BRAGATTO - Em 2005, sobrevivi a um acidente e tive de lidar não apenas com as sequelas físicas mas, principalmente, com as emocionais. Um fato como esse mexe com todas as nossas estruturas. Senti como se o chão se abrisse sob meus pés. Fiquei completamente sem eixo. Desconectada de mim e dos outros. Frágil.... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑