Tentação o ano todo em bares e feiras livres, o pastel vira cabo eleitoral e coprotagonista nestes tempos de eleição país afora

MARCO MERGUIZZO (Blog Aquele Sabor Que Me Emociona) - Leve, fina e crocante por fora, a massa, bem sequinha e em formato de um envelope estufadinho, costuma abrigar os mais variados recheios e sabores, após ser frita em óleo pelando de quente. Popular tanto no boteco da esquina quanto em festas de casamento, aniversários e feiras de todo o país, essa gostosa reinvenção brasileira também costuma ficar na berlinda em campanhas políticas, como as municipais, ao ser saboreada pelos candidatos em aparições públicas ao lado de seus correligionários e eleitores.

Azul marinho, o prato de tradição caiçara nascido da sabedoria indígena, porém desprezado em menus e restaurantes da moda do litoral paulista

MARCO MERGUIZZO (Blog Aquele Sabor Que Me Emociona - Durante todo o verão até o Carnaval, que acontece daqui a um mês, muita gente pegará estrada rumo às praias do litoral paulista. Embora Mongaguá continue sendo um dos destinos à beira-mar preferidos do sorocabano, boa parte inverte o sentido e, em vez de botar o pé na areia neste ponto do litoral sul, prefere embicar o carro na Rio-Santos e ir mergulhar nas badaladas águas azuis (porém, igualmente congestionadas) da costa norte de São Paulo. Pretexto mais do que perfeito para descobrir e saborear o Azul Marinho, prato da cozinha paulista com sabor de mar criado por pescadores daquela cenográfica região.

No dia dela e da votação da Previdência, a pizza é unanimidade recriada no Brasil com múltiplos sabores e ressignificação política

MARCO MERGUIZZO (Aquele Sabor Que Me Emociona) - Sobre o disco de massa feito de três elementos basilares - água, farinha de trigo e sal - assado no calor de brasas e lambuzado com um molho de tomates vigoroso, repousa o queijo mozzarella perfumado por folhas bem fresquinhas do verdadeiro basilico italiano, o nosso conhecido manjericão, mas que também pode ser a cobertura que a imaginação e o gosto desejarem.

Raspadinha, pudim, paçoca, laranja… A culinária inspira e alimenta apelidos e ressignificações Brasil afora

MARCO MERGUIZZO (do Blog Aquele Sabor Que Me Emociona) - Laranja. Costelinha. Amendoim. Moqueca. Paçoca. Pudim. Goiaba. Pastel. Picolé de chuchu. Mortadela. Pão com ovo. Tomate. Groselha. Cebola. Mexerica. No Brasil, o laranjal, ops, ou melhor, o manancial de citações e referências aos alimentos e à boa mesa é enorme e inesgotável. E isso não é de hoje. Para continuar lendo, clique no título do post.

Fruta roubada no pé, agriculturas familiar e orgânica e outras caipirices

MARCO MERGUIZZO - Embora tenha nascido na capital paulista, mais precisamente no bairro da Lapa, onde meu pai trabalhou durante quase três décadas num hospital público de excelência (hoje infelizmente extinto), e embora tenha voltado anos depois à Pauliceia, já garotão, para fazer faculdade e iniciar a carreira de jornalista como revisor do Estadão --... Continuar Lendo →

Carnívoros, bois e outras bovinices

MARCO MERGUIZZO (Blog Aquele Sabor Que Me Emociona) - Em tempos de satanização nutricional, modismos culinários e bovinices gastronômicas, que de tempos em tempos vilanizam e em seguida absolvem este ou aquele alimento, crucificar os adeptos desta ou daquela corrente alimentar virou carne de vaca, com o perdão do trocadilho.

Minha padoca, meu amor

MARCO MERGUIZZO (Blog Aquele Sabor Que Me Emociona) - Você entra e, pronto, vira criança de novo. Na padaria não tem regime, não tem dieta, não tem modinha gastronômica que sobreviva. Padaria é lugar para mandar pro espaço o exame cardiológico e devorar sem medo a salsicha afogada no molho de tomate. Afinal, alguém resiste a uma boa padoca?

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: