Fora da Margem, Ano 2, Edição 62

FORA DA MARGEM - Um veterano do cartum brasileiro, Jaguar, pseudônimo do carioca Sérgio de Magalhães Gomes Jaguaribe, fundador do icônico Pasquim, semanário de resistência criado para ironizar e fustigar o Golpe de 1964, expressa de forma perturbadora, nesta charge que abre a edição deste Fora da Margem, toda a sua mordacidade e frustração em relação ao país cujas potencialidades se perderam lamentavelmente no curso do tempo. O Brasil que desejamos, porém, e outros temas do cotidiano que nos afetam direta e indiretamente também são fonte de reflexão, crítica e bom humor permanentes para uma legião de chargistas e criadores anônimos de frases e memes que hoje circulam e nos divertem nas redes sociais.

Fora da Margem, Ano 2, Edição 56 (Especial) – “Pois é, presidente, por quê?”

FORA DA MARGEM - A reação (para variar) destemperada do presidente desencadeou um turbilhão de reações nas redes sociais. Famosos de todos os setores reproduziram no Twitter a pergunta que se tornou um questionamento nacional, de dimensões covidianas. E os humoristas, famosos ou anônimos -- cuja perspicácia costuma conduzir governantes ao cadafalso -- literalmente deitaram e rolaram com o tema.

Liberdade de imprensa

JOSÉ CARLOS FINEIS (Blog Conversa de Armazém) - A liberdade de imprensa, assim como a liberdade de cátedra ou a liberdade religiosa, deveria ser uma preocupação central dos brasileiros, e não apenas dos cada vez mais explorados, ameaçados e desvalorizados jornalistas. No entanto, o jornalismo passa por aquela que talvez seja a pior de todas as crises em toda a história da imprensa brasileira, sob os olhares indiferentes de uns, impotentes de outros, preocupados de poucos, oportunistas de muitos.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: