Fora da Margem, Ano 2, Edição 59

FORA DA MARGEM – As queimadas no Pantanal e o desmatamento da Amazônia. A disparada do preço do arroz e da cesta básica. E, como não poderia deixar de ser, o costumeiro "E daí"? presidencial. Pior: a pasmaceira das instituições e a inexplicável indiferença da sociedade brasileira diante do caos ecológico e econômico do país, dos mais de 13 milhões de desempregados e da normalização da transmissão da Covid, com quase 1.000 vítimas diárias, e o vírus à espreita em bares, shoppings e praias hiperlotados. Embora pudessem integrar um filme de horrores, todos esses assuntos estão nesta edição dominical e sempre inédita do Fora da Margem. Não deixe de dar uma espiada.

Liberdade, liberdade, abra as asas sobre nós e que a voz da igualdade seja sempre a nossa voz

TERCEIRA MARGEM - O Coletivo Terceira Margem defende o respeito às instituições democráticas, liberdades civis e demais direitos fundamentais preconizados e consagrados pela Constituição de 1988, a partir de um sistema justo e legítimo de representação e exercício de poder que vise à eliminação das desigualdades sociais e desequilíbrios econômicos. Nos unimos e engrossamos fileiras com a sociedade brasileira, neste momento de extrema gravidade, em defesa das liberdades políticas e de expressão e contra os ataques à normalidade institucional e à nossa jovem democracia. Ditadura nunca mais! Desperta, Brasil! Vamos resistir!

Zé Muleque, o leva e traz (conto). Parte 3 (final): Nada que um bolo não resolva

JOSÉ CARLOS FINEIS (Conversa de Armazém) - "Ora, quem diria. O filho do velho boticário meu amigo bancando jagunço de novela. Seu pai era um grande homem e deve estar lá no Céu, morrendo de vergonha de você, seu corno manso. Quem mais está aí? Venham aqui para a frente. Sejam homens, saiam das sombras. Vamos conversar e resolver a situação com saliva, pois com chumbo, não sei se vocês perceberam, alguém certamente não vai dormir em sua cama esta noite."

Larissa e Joana (conto). Parte 2 (final): O amor verdadeiro vai encontrar você

JOSÉ CARLOS FINEIS (Conversa de Armazém) - Nos dias seguintes ao primeiro encontro (creio que foi numa quarta ou quinta-feira), Larissa e Joana pensaram muito no trato que haviam feito. A bem da verdade, refletiram sobre o assunto de maneira quase obsessiva, talvez porque as intrigasse uma ideia que ocorreu a ambas – a de que pudessem ter sido levadas por algum motivo desconhecido por elas mesmas, alguma intenção não consciente que não fosse apenas a de reunir-se para conversar.

Larissa e Joana (conto). Parte 2 (final): O amor verdadeiro

JOSÉ CARLOS FINEIS (Conversa de Armazém) - Nos dias seguintes ao primeiro encontro (creio que foi numa quarta ou quinta-feira), Larissa e Joana pensaram muito no trato que haviam feito. A bem da verdade, refletiram sobre o assunto de maneira quase obsessiva, talvez porque as intrigasse uma ideia que ocorreu a ambas – a de que pudessem ter sido levadas por algum motivo desconhecido por elas mesmas, alguma intenção não consciente que não fosse apenas a de reunir-se para conversar.

Acima ↑