Vamos adiar o fim do mundo?

LÚCIA HELENA DE CAMARGO (Blog Todas as Telas) – Aquecimento global, novo corona vírus, governo ensandecido e injusto… tem dias em que nem parece tão ruim a ideia da completa extinção dos humanos na Terra. Mas em outros, quando a vida parece melhorar, a gente percebe que ainda é possível rir, tomar chuva (eu gosto), acariciar gatinhos e ver filmes do Truffaut, bem, a missão é evitar que o mundo acabe.

A mostra Manifestos para Adiar o Fim do Mundo vai levar às salas do Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca, em São Paulo, de 5 a 8 de março, filmes que sintetizam essa ideia básica. O mundo insiste em se encaminhar para o fim? Pois então vamos lutar para preservar, enquanto pudermos, a beleza, a delicadeza, as interações verdadeiras que nos qualificam como seres inteligentes.

O objetivo declarado da mostra é “Conscientizar as pessoas de que precisamos nos reinventar como espécie, compartilhando do mesmo propósito, o de viver em harmonia com a natureza.”

Cada diretor traduz o manifesto à sua maneira. Alguns abordam a questão da ocupação desordenada da terra pelo homem, o desperdício dos recursos naturais, outros levam às telas a questão da diversidade cultural, seja com denúncias sobre o processo de genocídio de um grupo indígena no Brasil ou apontando a falta de respeito geral com pessoas em razão de sua aparência física, condição social e outros critérios banais.

Mas observem que a intenção não é evitar o fim do mundo… apenas adiar. 😊  

A curadora do evento, Regina Jehá, vai conversar com os convidados após a exibição de cada filme, que acontecerá no Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca, sempre às 19h30.

Veja a programação completa:

Dia 5 de março (quinta-feira)

Ruivaldo, o homem que salvou a terra

Dir. Jorge Bodanzky e João Farkas

Documentário (Brasil 2019) – Livre – 46 min.

Sinopse: Fazendeiro no Pantanal do Mato Grosso, Ruivaldo Nery de Andrade ganhou destaque como um soldado na linha de frente da batalha pela proteção do meio ambiente. Acompanhando o dia a dia de esforços para sobreviver de Ruivaldo, o documentário aborda as consequências do assoreamento do Rio Taquari.

Sessão seguida de debate com os diretores Jorge Bodanzky, João Farkas e Regina Jehá.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=WFZQjkfa3QQ

Dia 6 de março (sexta-feira)

500 almas (foto)

Dir. Joel Pizzini

Documentário (Brasil 2005) – Livre – 109min

Sinopse: O delicado processo de reconstrução da memória e da identidade dos índios Guatós- através de depoimentos dos próprios membros da comunidade e de reconstituições de crimes realizados por homens brancos contra eles -, uma tribo indígena da região do Pantanal mato-grossense que foi descoberta muitos e muitos anos após ter sido considerada extinta e que atualmente se encontra disperso pela área.

Sessão seguida de debate com o diretor Joel Pizzini e Regina Jehá.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=qEPuU8CVqSk

Dia 7 de março (sábado)

Martírio

Dir.: Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tatiana Almeida

Documentário (Brasil 2016) – 12 anos – 160 min.

Sinopse: Uma análise da violência sofrida pelo grupo Guarani Kaiowá, uma das maiores populações indígenas do Brasil nos dias de hoje e que habita as terras do centro-oeste brasileiro, entrando constantemente em conflito com as forças de repressão e opressão organizadas pelos latifundiários, pecuaristas e fazendeiros locais, que desejam exterminar os índios e tomar as terras para si.

Sessão terá abertura com a presença da Regina Rejá

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=5zVzRAiDR78

Dia 8 de março (domingo)

Frans Krajcberg Manifesto

Dir. Regina Jehá

Documentário (Brasil 2019) – Livre – 96min

Sinopse: Frans Krajcberg se prepara para expor suas obras e receber a grande homenagem da 32. Bienal de Arte de São Paulo, enquanto desvela suas memórias e reflexões. Recentemente falecido, a vida do artista foi uma luta implacável contra a loucura destrutiva do Homem, desde o fogo da 2a Guerra Mundial às queimadas na Região Amazônica. O destino de um homem extraordinário inserido na história do seu tempo, comprometido com sua arte e profundamente vivo para sempre. O filme volta ao cartaz da sala no dia 12.

Sessão seguida de debate com a diretora Regina Jehá e Sônia Guarany,

Trailler: https://www.youtube.com/watch?v=n7zYmahI_Es

Serviço:

Manifestos para adiar o fim do mundo

Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca

Shopping Frei Caneca

Rua Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo – SP, 01307-001

Telefone: (11) 34722359

Valor do ingresso para a mostra

R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Lúcia é jornalista.
luciahcamargo@uol.com.br

E escreve também no blog www.menudalu.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: