Na caneca de ágata, os clássicos quentão e vinho quente brindam os santos caipiras neste sábado, 29, ao fim do ciclo junino

MARCO MERGUIZZO (Aquele Sabor Que Me Emociona) - Neste sábado, 29 de junho, data em que se comemora o martírio dos santos festeiros Pedro - um dos doze discípulos que renegou Cristo por três vezes mas foi o escolhido para ser o chefe da Igreja e guardião das chaves dos portões celestiais - e Paulo, o apóstolo dos Gentios e cujo nome original era Saulo de Tarso, fecha-se enfim o ciclo dos festejos da tríade de santos juninos.

Rios e quintais

SANDRA NASCIMENTO - A propósito das várias ideias e questionamentos que o mês de junho trouxe para o ambiente humano no planeta, vamos finalizando esse período – que celebrou o Dia Mundial do Meio Ambiente em 5/6 – com uma pequena mensagem. Trata-se de um poema que nasceu a partir da lembrança de um sonho... Continuar Lendo →

Palavras Negras: o racismo na literatura brasileira

LUIZ PIEROTTI - Há algum tempo, falamos sobre a escritora Carolina Maria de Jesus, mulher negra, favelada, e muito importante para a história da literatura brasileira, assim como para a compreensão dos processos de marginalização que nos rodeiam. "Machado de Assis Real", projeto da Faculdade Zumbi dos Palmares Mas ela não foi a única, diversos... Continuar Lendo →

Meu amigo arcebispo

JOÃO MAURÍCIO ROSA (BLOGUEIRO CONVIDADO) - Nunca fui de me gabar, mas desta vez não vou deixar passar batido. Eu tinha em meu rol de amigos um que era arcebispo de Porto Velho (RO). A notícia da morte no dia 17/06 de Dom Moacyr Grechi me deixou triste e frustrado, pois nesta quinta-feira, dia 27,... Continuar Lendo →

Ponte sobre o rio dos sonhos

RUBENS NOGUEIRA - Ah! Como é bom ler. Este burro velho, eterno aprendiz, tem a alma lavada diante do texto de Monica de Bolle (Revista Época, 12-11-18) (*). Ela cita Fernando Pessoa: “Da distância imprecisa, e, com sensíveis/ movimentos da esperança e da vontade,/ Buscar na linha fria do horizonte/ A árvore, a praia, a... Continuar Lendo →

A taça de sorvete

JOSÉ CARLOS FINEIS - Não me sinto culpado por ter sido uma criança difícil, por um motivo muito simples: não existe criança fácil. O que existe é criança mais ou menos difícil. Também não perco tempo pensando em que categoria – se mais ou menos difícil – eu poderia ter sido classificado. Acredito (e obviamente... Continuar Lendo →

A nova normalidade brasileira

GERALDO BONADIO - Como o império da moralidade foi plenamente restaurado em nosso país, a contar de 1º de janeiro, os brasileiros desfrutam hoje de uma normalidade totalmente nova. Exatamente pela sua novidade, ela, por vezes, surpreende velhos e empedernidos corruptos do PT, incapazes de entendê-la. O presidente da República viajou ao Japão, país em... Continuar Lendo →

Um olhar sobre nossas convicções

NILSON RIBEIRO - Por que eu tenho que estar certo? há algo de patético em todos nós. Por algum caminho absorvemos cultura, informação, conceitos. Depois, a partir disso, formamos nossas opiniões e convicções. E, depois, procuramos desesperadamente maneiras de sustentá-las. Sejam elas religiosas, políticas, comportamentais, sociais ou uma simples receita de espaguete. Quando estamos convictos... Continuar Lendo →

Quanto custa colocar amor no café?

LUCY DE MIGUEL - Quando li essa frase pela primeira vez no prefácio de um livro, percebi que ela continha uma riqueza enorme de significados, que tomei emprestada para usá-la em minhas palestras para empresários e líderes educacionais. Digo sempre que a frase não é minha, mas de Marco Kerkmeester, fundador de uma conhecida franquia... Continuar Lendo →

O mistério de 31 milhões de acessos

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - Um casal comum cai por acaso em uma situação inusitada que envolve gente endinheirada, crimes e mistérios. Esse roteiro a gente já viu. Mas sempre é possível inventar variações sobre a mesma fórmula. Assim é “Mistério do Mediterrâneo”, que traz Jennifer Aniston e Adam Sandler como uma cabeleireira e um... Continuar Lendo →

No escurinho do cinema

RUBENS NOGUEIRA - Sorocaba teve, em priscas eras, salas de projeção de filmes, os chamados cinemas de rua, no centro da cidade e em pelo menos dois bairros: Vila Santana e no Além-Ponte. No bairro dos espanhóis, eram dois. Na Nogueira Padilha, era o cine Eldorado (cuja fachada ilustra este artigo), e numa transversal ali... Continuar Lendo →

No vazio brotou uma nova vida

RITA BRAGATTO – Na semana passada, concluí o processo de reconhecimento da minha cidadania italiana. Comecei a pesquisa de certidões – do zero - há um ano. A única informação que eu tinha era que meus bisavós nasceram em Treviso, no norte da Itália. Mas não fazia ideia em qual das mais de cem comunes... Continuar Lendo →

Para brindar os 75 anos de Chico, as canções que lembram seu precioso legado artístico, o ativismo e, claro, a boa mesa

MARCO MERGUIZZO - “Gente é pra brilhar, não pra morrer de fome”. Embora a frase, antológica, seja do genial Caetano Veloso, ela expressa em boa medida a trajetória grandiosa de um outro gigante da MPB e da cultura nacional: a de Chico Buarque de Holanda, uma figura superlativa nos cenários musical, cultural e político brasileiros... Continuar Lendo →

Segunda-feira

PEDRO HENRIQUE NEGRÃO (FOTO) - O que é mais triste que um trem? Que parte quando deve partir, Que tem somente uma voz, Que tem somente um caminho. Nada é mais triste que um trem. Ou somente um burro de carga. Está preso entre duas barras, E nem pode olhar para o lado. Sua vida... Continuar Lendo →

Mãe Coragem – um texto necessário

JOSÉ SIMÕES - o teatro nesses tempos ruidosos e obscuros é absolutamente necessário. Isso porque é nele que nos encontramos, nos encantamos, nos vemos, nos entristecêssemos e enfrentamos a barbárie. Este tempo demanda que artistas e público retomem o mote: a arte contra a barbárie. É o momento que artistas, em sintonia com o mundo... Continuar Lendo →

Todos os homens e conjes do Presidente

FREDERICO MORIARTY - O The Guardian publicou em 2013 uma série de reportagens que atingiu a NSA (Agência de Segurança Nacional). Fundada em 1952, a NSA era tão secreta que só 30 anos depois, em pleno governo Reagan (1980-1988), sua existência foi confirmada. Para os teóricos da conspiração mundial, a NSA sempre foi a grande... Continuar Lendo →

Amor, guerra. E o vento.

LÚCIA HELENA DE CAMARGO - “E o Vento Levou” (Gone With The Wind, Estados Unidos, 1939), talvez o filme mais famoso de todos os tempos, traz uma história de amor arrebatadora e trágica. A efeméride do dia dos namorados nos levou a revisitar essa grande produção.   Vivian Leigh vive Scarlett O'Hara, moça que não... Continuar Lendo →

Urucum, o tempo e a vida real

NILSON RIBEIRO - Quer saber como viver plenamente a vida? Não precisa perguntar a algum guru da moda... Recentemente, me deparei com minha amiga Celi, cozinheira que nos ajuda por aqui, descascando e pilando algumas sementes de urucum, aquela bem vermelhinha, da qual se faz tinta e o colorau para dar vida às receitas. Sou... Continuar Lendo →

Eu criei o “Tico” e acabei com a tristeza do meu filho

LUCY DE MIGUEL -- Não há dúvida de que a maternidade venha rodeada de incertezas, inseguranças, muitas noites mal dormidas (e quando “não-dormidas”), mas também nos desperta habilidades inimagináveis, exigindo toda a nossa criatividade e muito amor no coração. Acho que isso é o que chamam de "instinto materno". Posso dizer que tive incontáveis e... Continuar Lendo →

Ao lado da lareira, sob o edredom e um bom vinho, a fondue é pedida certa para estes dias gelados de outono com cara de inverno

MARCO MERGUIZZO - Sempre precisos, o Climatempo e o Sorocaba Plural, veículo comandado pelo incansável casal de multieditores Sandra Nascimento, do Rio Sorocaba Conta Histórias, e José Carlos Fineis, contista titular do Conversa de Armazém, além de timoneiro deste Coletivo e boulanger dos bons, já anteciparam: com previsão de os termômetros baterem nos 10ºC, o... Continuar Lendo →

Começos

"Tudo o que é bom começa bem. O que começa mal só tende a piorar. Isso vale para sociedades, obras, parcerias, viagens, cursos, negócios em geral, relacionamentos amorosos e, é claro, governos, não importa o quanto gastem em publicidade." -- Conversa de Armazém

Von Martius em Sorocaba

RUBENS NOGUEIRA - Tinha nome nobilíssimo – Carl Frierich Philipp Von Martius. Foi do grupo de naturalistas que no início do século 19 estiveram no Brasil de Dom João VI. Um time de cobras: ele, Saint-Hilaire, Debret, Taunay, Rugendas, Grandjean de Montigny, Maria Graham, Johann Baptist Von Spix, entre outros. Não houve, entre eles, quem... Continuar Lendo →

O apocalipse está próximo!

LÚCIA HELENA DE CAMARGO – Bem vindo ao final dos tempos! Para assistir a esta série, é preciso ter se preparado para esse evento. Mas vamos ao começo. O anjo Aziraphale e o demônio Crowley convivem na Terra e se encontram ao longo dos séculos, participando de acontecimentos da história da humanidade. O objetivo é... Continuar Lendo →

Jessika Menkel – a dor de si e a dor dos outros

JOSÉ SIMÕES -  Hoje vou escrever acerca de um espetáculo carioca: o monólogo da  atriz sorocabana Jessika Menkel. Apesar de Sorocaba ser uma cidade de médio porte na comparação com as outras cidades brasileiras, no dia a dia muitos de nós gostamos de imaginar que ainda somos uma pequena cidade do interior, que conhecemos todas... Continuar Lendo →

“Bravo, Victorio!”

RITA BRAGATTO – Victorio é meu vizinho aqui na Itália. Um homem de 74 anos. Desde que cheguei, o via apenas em seu pequeno ritual: de manhã, quando o sol surgia, ele punha uma cadeira na rua e lá permanecia em silêncio por horas. Frequentemente, cochilava. Seu semblante era triste. Mas um dia o vi... Continuar Lendo →

O Sagrado na louça da pia

NILSON RIBEIRO - Um anjo passou por aqui e quero compartilhar o “insight”, o ensinamento que ele me deixou. "Insights" costumam significar um vislumbre da “verdade”, ou da “Graça”, como quiserem, e que amadurecem a maneira que vemos e vivemos a vida. Pois bem. Depois de um domingo cansativo, eu estava me preparando para ir... Continuar Lendo →

Crítica teatro – Gavetas do Corpo

JOSÉ SIMÕES -   Gavetas do Corpo, o novo espetáculo da Camarim Cia de Teatro, toma como ponto de partida a discussão do corpo e da corporeidade neste tempo e lugar. São as histórias/memórias do corpo particular,  privado e  vivido pelos artistas interpretes,  rememoradas, disfarçadas, reconfiguradas, inventadas e recusadas que estão postas em cena. Gavetas do... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑